Página Inicial » Brasil

Marco Feliciano explica polêmica sobre a senha do cartão de crédito

O próprio fiel entrou em contato com a assessoria do deputado para relatar o ocorrido

por Leiliane Roberta Lopes


O vídeo gravado em uma das edições do Congresso Gideões Missionários da Última Hora (GMHU) onde o pastor Marco Feliciano questiona quem é o fiel que doou o cartão sem mandar a senha acabou sendo usado contra ele que nas últimas semanas, que já sofre acusações de racismo e homofobia.

Como deputado federal pelo PSC, Feliciano foi indicado ao cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados e sua indicação, seguida pela eleição, acabou sendo questionada por parlamentares e também pela sociedade civil que não aceita o pastor no cargo.

Com a divulgação do vídeo do GMUH Feliciano começou a ser chamado de estelionatário, já que ele estava fazendo a coleta de ofertas durante o evento. O irmão Samuel Souza, que tinha colocado um cartão do banco na salva, foi chamado ao palco para poder pegar o cartão.

O pastor anunciou que a pessoa tinha doado, mas não enviou a senha. A frase gerou tanta polêmica que Samuel procurou a assessoria do deputado para poder explicar que ele não foi roubado pelo pastor, até porque não tinha dinheiro em sua conta.

A assessoria de Marco Feliciano conversou com Samuel Souza que recordou de tudo o que aconteceu durante aquele culto.

Leia:

1) Samuel, em algum momento você foi constrangido a fazer doação?

De maneira alguma, até mesmo na ocasião eu não tinha nenhum recurso para ofertar, mas meu desejo era muito grande de colaborar devido à necessidade de nossos missionários e crianças.

2) Se você não tinha recurso para ofertar, como seu cartão de débito foi parar nas salvas?

Senti vontade de ofertar novamente, porem sem mais recursos disponíveis resolvi fazer um ato profético de consagrar simbolicamente a minha conta corrente, coloquei meu cartão nas salvas de oferta e com fé acreditei que isso abençoaria minhas finanças.

3) E funcionou, deu certo?

Sim! Na época eu nem esperava em casar, nem pretendente tinha (risos), ganhava muito pouco como eletricista.
Em um ano minha vida deu uma reviravolta, conheci uma pessoa maravilhosa, nos casamos, tenho uma linda casa toda mobiliada, não pago aluguel e consegui emprego como inspetor de manutenção elétrica.
Na época era apenas obreiro hoje sou diácono e sonho um dia ser um pastor usado como o Pr. Marco Feliciano para prega a palavra de Deus, acredito em atos proféticos feitos com muita fé.