Adolescente mata missionária de 82 anos na Bahia

Marjorie May Browning estava há 40 anos no Brasil desenvolvendo trabalhos sociais com mulheres, crianças e adolescentes.


Adolescente mata missionária de 82 anos

A Polícia Civil da Bahia apreendeu um adolescente de 16 anos, da cidade de Avelino Lopes, no Piauí, que confessou ter assassinado a missionária americana Marjorie May Browning, de 82 anos, com golpes de mão de pilão, utensílio de madeira usado na cozinha rural para esmagar grãos.

O crime aconteceu no dia 12 de novembro no povoado de Nova Holanda, em Pilão Arcado no Norte da Bahia, quando o jovem invadiu a casa da missionária para furtar e foi surpreendido ao encontrar Marjorie na residência.



“A missionária estava debruçada sobre a janelita, quando percebeu que tinha alguém a mais na casa. E para que ela não o reconhecesse e denunciasse a polícia, o adolescente a golpeou violentamente na região do pescoço, o que a fez morrer no local”, contou o delegado Arnóbio Dionísio Soares.

Ele falou ser essa a terceira vez que o garoto ia ao local furtar, mas a missionária nunca tinha prestado queixa na polícia por perdoar a ação criminosa do adolescente. May foi encontrada morta em casa dois dias depois por pessoas da comunidade rural, que sentiram falta das visitas diárias que a missionária fazia para evangelizar.

O adolescente de 16 anos estava apenas a passeio no povoado visitando familiares em companhia da mãe, que disse não ter percebido nada estranho no comportamento do filho durante os dias que passaram lá.



Em depoimento na delegacia o jovem disse ser usuário de drogas e alegou roubar para manter o vício. Ele também já responde a uma medida socioeducativa por furto no Piauí. Nessa quarta-feira (19/11) o menino e a mãe foram ouvidos pela Promotoria Pública de Pilão Arcado, que solicitou o internamento provisório dele na Fundação de Amparo de Menor, em Salvador.

A missionária americana Marjorie May, natural do Texas nos Estados Unidos, estava há mais de 50 anos no Brasil pela Igreja Batista Bíblica. Ela iniciou a missão em São Paulo, depois foi para Pilão Arcado (BA), onde passou cerca de 40 anos desenvolvendo trabalhos sociais com mulheres, crianças e adolescentes.



Todas as atividades eram desenvolvidas na zona rural do município, que ela percorria evangelizando em cima de um cavalo. Mesmo já aos 82 anos e com a saúde frágil, a missionária tinha recusado recentemente a oportunidade de retornar ao país de origem, “a proposta foi feita para que ela pudesse cuidar melhor da saúde, ter uma aposentadoria tranquila, mas ela não queria sair do Brasil e nem da comunidade”, disse o pastor Domingos Ribeiro Santana, responsável pela Igreja Batista Bíblica na zona urbana de Pilão Arcado. E em respeito a esse carinho, a missionária Marjorie foi enterrada no povoado, que ela dedicou metade da vida pregando o evangelho.

A população de pouco mais de trinta mil habitantes continua abalada com o fato e a violência do crime. E os amigos e irmãos em Cristo que acompanhavam o trabalho de Marjorie May de perto veem nela um exemplo de mulher, que fez do versículo em 2 Timóteo 4:7 “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé”, o resumo do seu legado.

Confira documentário sobre o trabalho desenvolvido pela missionária no Brasil:

*Colaborou Izabella Freitas




Deixe seu comentário!