MENU

Adolescentes budistas se convertem e são espancadas pela própria família

Caso de perseguição ocorreu no Laos


Nani e Nha Phong
Nani e Nha Phong

Duas irmãs adolescentes que vivem no Laos, sul da Ásia, converteram-se a Jesus. A decisão gerou revolta em sua família, toda budista e adoradora de espíritos ancestrais. As duas foram espancadas, e ficaram amarradas durante dias do lado de fora de casa, mesmo assim não voltaram atrás.

Nani, 17 anos, e Nha Phong, 16, ouviram a pregação de um primo. O caso de perseguição ocorreu meses atrás, mas está sendo divulgado agora pela missão Portas Abertas, que ofereceu apoio a elas. “Nosso primo nos falou sobre a Boa Nova”, disse Nani, “Ele é pastor da igreja de uma aldeia perto da nossa. Gostei muito do que eu ouvi, e por isso me tornei uma crente”.

Leia mais

Porém, seus familiares opuseram-se fortemente à decisão delas em seguir a Jesus. “Quando fomos à igreja pela primeira vez, nossa família ficou muito brava. Eles disseram que devíamos voltar para a antiga religião da família e me proibiram de ir à igreja”, testemunha a adolescente de 17 anos.

Como elas não queriam obedecer, cerca de três semanas depois, quando as meninas saíram para ir a um culto, um grupo de familiares – cerca nove pessoas – os seguiram e arrastaram as irmãs para fora do culto. “Eles nos amarraram e meu pai bateu na minha irmã”, lembra Nani.

De volta à sua aldeia, elas foram separadas e ficaram amarradas durante vários dias. “Eles me levaram para a casa de meu tio e me perguntavam se eu ainda acreditava em Deus. Fizeram muitas ameaças e disseram que, a menos que renunciasse à minha nova fé, iria continuar amarrada”, conta Nha Phong.

Após quatro dias, as irmãs foram libertadas. Apesar da perseguição, as meninas dizem que sua fé está mais forte do que nunca. “Acredito que nossa força para permanecer firme é um presente de Deus”, disse Nani. “Há um versículo da Bíblia, em Efésios 6, falando que quando as pessoas lutavam no passado, usaram o escudo. O escudo que tenho para me proteger é minha fé em Jesus”.

As irmãs contam que o pai delas ainda se opõe ao cristianismo, mas a mãe ficou tocada pelo testemunho delas e já foi com elas a um culto. “É muito difícil desobedecer a nosso pai, que é o chefe da família, mas queremos obedecer a Jesus antes de tudo. Sabemos que ele morreu por nós, e não queremos voltar para nossa antiga religião. Mesmo que seja difícil, queremos seguir Jesus”, asseguraram.

Apesar da situação em casa ter se acalmado, elas enfrentaram a perseguição na aldeia. “O chefe da aldeia disse a nossa mãe que se continuássemos indo à igreja, eles iriam nos expulsar. Ele [o chefe] diz que devíamos sair da aldeia”, lamenta Nha Phong.

Meses depois, elas e os outros sete cristãos da aldeia foram presos. Após serem libertos, as irmãs fugiram para a outra aldeia, onde seu primo é pastor.

O Laos está em 24º lugar no ranking de perseguição publicada pela Portas Abertas. Este ano o país teve uma nota muito alta na categoria violência. Com informações Gospel Herald



Assuntos:


Deixe sua opinião!