Advogado de Yousef Nadarkhani é condenado a nove anos prisão

ACLJ teme que sem defesa o pastor iraniano seja executado nos próximos dias


Advogado de Yousef Nadarkhani é condenado a nove anos prisão

O advogado do pastor iraniano Yousef Nadarkhani, Mohammad Ali Dadkhah, foi condenado a nove anos de prisão por defender casos ligados aos direitos humanos que não estão sendo respeitados no Irã.

Ele pode ser preso a qualquer momento sob alegação de ir contra o regime do governo e deverá ficar dez anos sem advogar. “Eu estava em um tribunal em Teerã, defendendo um de meus clientes, Davoud Arianji, um ativista político que foi preso no corredor da morte, quando o juiz me informou sobre a minha sentença”, disse Dadkhah.

O advogado Mohammad Ali Dadkhah defende prisioneiros políticos e religiosos sem cobrar por seus serviços e por esse motivo o Irã o considera um inimigo do Estado alegando que ele tem “cumplicidade” com seus clientes.


  Professor ensina a cantar afinado em 61 dias


Na Páscoa ele representou legalmente 12 cristãos que foram julgados por sua fé, esse julgamento aconteceu no mesmo tribunal iraniano onde Yousef foi condenado a execução.

De acordo com o ACLJ (Centro Americano para Leis e Justiça) o juiz que proferiu essa sentença foi Abolghasem Salavat, conhecido como “juiz da Morte” por ser duro em suas decisões sempre relacionadas aos acusados de crimes políticos e religiosos.

A organização também afirma que a sentença pode prejudicar ainda mais a situação do pastor que está preso desde 2009 por largar o islamismo e se tornar cristão. Com a prisão de Dadkhah, Nadarkhani fica sem representante legal já que não há nenhum outro advogado iraniano que aceite defendê-lo.

“Embora possamos afirmar que o pastor Yousef estava vivo até ontem, 2 de maio, a prisão de seu advogado o coloca em grave perigo de execução, sem mais nenhum recurso”, disse Jordan Sekulow no site da ACLJ se comprometendo a continuar seus trabalhos para que o pastor seja libertado.




Deixe seu comentário!