Fracassa peça de teatro sobre fundadora da Igreja Quadrangular

Igreja perdeu U$ 2 mi em musical da Broadway


Fracassa peça de teatro sobre fundadora da Igreja Quadrangular

A peça de teatro musical “O Livro de Mórmon” foi um dos grandes sucessos da Broadway no ano passado. Tentando aproveitar-se do aparente interesse em peças com temática religiosa, a Fundação Quadrangular investiu pesado na produção de “Escandalosa: A Vida de Aimee Semple McPherson”.

O musical que conta a vida da fundadora da Igreja Quadrangular, escrito pela jornalista Kathie Lee Gifford ficou apenas um mês em cartaz. O roteiro usou como base o livro de Matthew Sutton, “Aimee Semple McPherson e a Ressurreição do cristianismo na América”, que conta as maneiras pouco comuns na época que Aimee começou a pregar, especialmente em um tempo quando as mulheres não tinham o hábito de subir nos púlpitos.

Mas aparentemente, contar como a Igreja do Evangelho Quadrangular foi fundada há 90 anos não foi algo capaz de atrair pessoas ao teatro. Fracasso de público e de crítica, a peça protagonizada por Carolee Carmello gerou uma crise na Fundação que foi criada para atuar como uma extensão da igreja na área social. O prejuízo da Fundação Quadrangular foi de dois milhões de dólares.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


O uso de dinheiro da igreja para uma peça de teatro custou o cargo do diretor-executivo da Fundação, Greg Campbell. Além disso, a igreja substituiu 10 dos 11 membros do conselho que administra a Fundação.

“A verdade é que a denominação corre riscos quando decide encontrar novas maneiras de levar o evangelho a todo o mundo”, asseverou Brad Abare, diretor de comunicações da Igreja Quadrangular. “Às vezes esses esforços não saem conforme o planejado.”

Glenn Burris Jr., atual presidente da Igreja do Evangelho Quadrangular e único membro do Conselho que não foi substituído, não quis comentar o assunto, dizendo que essa era uma questão interna da igreja.

Segundo um importante líder da Igreja Quadrangular que falou ao jornal Los Angeles Times, no primeiro momento muitos dentro da cúpula da denominação viam o musical como uma forma positiva de chamar a atenção para a igreja. O problema não teria sido tanto o fracasso do espetáculo, mas sim o questionamento de outros membros sobre o uso de dinheiro da igreja.

A Fundação Quadrangular começou vários programas bem sucedidos em 2000, quando começou a gerir o dinheiro ganho pela Igreja na venda de uma de suas estações de rádio por US$ 250 milhões.  Mas quando os programas sociais ficaram para trás e a Fundação decidiu tentar “novidades” uma crise se instalou e que culminou com o fracasso do musical. Com informações Los Angeles Times e Christian Today.




Deixe seu comentário!