MENU

Alckmin veta diminuição de pena pela leitura da Bíblia

Proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa 


Geraldo Alckmin
Geraldo Alckmin.(Foto: Adriana Spaca/Brazil Photo Press/Folhapress)

O projeto de lei 390/2017, que previa diminuição da pena dos presos que concluíssem a leitura da Bíblia, foi vetado parcialmente pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nesta sexta-feira (12).

A proposta assinada pela bancada evangélica da Assembleia Legislativa paulista versava sobre a remição de pena pela leitura das Escrituras nos presídios do estado. No veto, Alckmin justifica que o artigo sobre a Bíblia apresenta uma “inarredável inconstitucionalidade”.

Leia mais

O artigo em questão dizia que a Bíblia não é um único livro, mas sim um compilado de 66 livros. A proposta legislativa foi assinada pelos deputados estaduais Gilmaci Santos, Milton Vieira, Sebastião Santos e Wellington Moura. Todos eles são do PRB, legenda ligada à Igreja Universal.

Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e uma portaria do Conselho da Justiça Federal preveem a redução de pena pela leitura.

Cada livro lido acarretaria na redução de quatro dias de pena, com um limite de doze obras por ano. Com informações das agências



Assuntos: ,


Deixe seu comentário!

Mais notícias