Anthony Garotinho volta a ser preso pela Polícia Federal

Político cumprirá prisão domiciliar


Anthony Garotinho volta a ser preso pela PF

Quase um ano depois de ter sido preso pela Polícia Federal, o ex- ex-governador do Rio Anthony Garotinho voltou a ser detido. Em novembro de 2016, ele foi detido durante uma etapa da Operação Chequinho, que investiga o uso eleitoral do programa Cheque Cidadão, destinado a famílias de baixa renda.

Também era acusado de usar o programa para comprar votos e fraudar as eleições  em Campos dos Goytacazes.



Na ocasião, ele ficou poucos dias na prisão em Bangu, tendo conseguido um habeas corpus, acabou sendo solto.

Contudo, a Polícia Federal cumpriu na manhã desta quarta-feira, um mandado de prisão domiciliar. Três policiais foram para a porta da Rádio Tupi, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio, onde Garotinho apresentava seu programa “Fala, Garoinho”, que aborda assuntos políticos e evangélicos.

Garotinho foi levado para Campos, onde cumprirá a prisão domiciliar. A condenação total é de 9 anos, 11 meses e 10 dias em regime fechado, que ele cumprirá em casa. Além de precisar de tornozeleira eletrônica, está proibido de utilizar telefones celulares e seu contato pessoal foi restringido a advogados e familiares próximos (mãe, netos, filhos e a mulher, a ex-governadora do Rio Rosinha Garotinho).



A Justiça alega que o grupo comandado por Garotinho continua cometendo crimes, incluindo ameaça a testemunhas e destruição de provas. Também investiga uma denúncia, parte de outro processo, da tentativa de suborno ao juiz Glaucenir de Oliveira, quando o magistrado esteva à frente da “Operação Chequinho”. Segundo a decisão, isso corrobora para a necessidade imediata de prisão.

Garotinho foi condenado por corrupção eleitoral, associação criminosa e supressão de documentos públicos. A decisão judicial, assinada pelo juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, precisa ser confirmada em segunda instância para que passe a vigorar. Com informações O Globo




Deixe seu comentário!