MENU

Após EUA, Israel também anuncia saída da Unesco

Benjamin Netanyahu critica UNESCO: “teatro do absurdo” 


Donald Trump e Benjamin Netanyahu
Donald Trump e Benjamin Netanyahu

O governo de Israel também anunciou nesta quinta-feira (12) sua saída da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). A decisão foi anunciada logo após os Estados Unidos terem comunicado que vão se desligar da agência. Representantes dos dois países acusam a entidade de ter uma postura propositalmente anti-israelense.

O primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu pediu que Ministério do Exterior preparasse a retirada oficial. Em nota, ele elogiou a postura do governo Trump: “Essa é uma decisão corajosa e moral, porque a Unesco se tornou um teatro do absurdo. Ao invés de preservar a História, distorce”.

Leia mais

Os EUA já haviam cortado o financiamento à Unesco em 2011, quando o órgão decidir incluir a Autoridade Palestina como membro pleno. Em 2013, Israel perdeu seu direito a voto na Unesco quando suspendeu o repasse de fundos.

O embaixador israelense na Unesco Carmel Shama-Hacohen acredita que a retirada dos Estados Unidos da Unesco é “o início de uma nova era”, e pediu que Netanyahu fizesse a mesma coisa.   Em pronunciamento oficial, argumentou que a Unesco havia se tornado “uma organização absurda, que perdeu seu caminho a favor de considerações políticas de alguns países”.

O embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, reiterou que a Unesco era um fórum anti-Israel que já não segue o objetivo inicial. Ele afirmou que a Unesco estava agora “pagando o preço” pelas decisões “vergonhosas” que adotou contra Israel, citando “uma nova era” que se aproxima da ONU, na qual a “discriminação anti-Israel” tem consequências.

A agência das Nações Unidas está em meio a um processo para a escolha de um novo diretor. Nos próximos dias será eleito o sucessor da búlgara Irina Bokova. Os candidatos mais fortes são oriundos do Qatar e do Egito, países islâmicos que devem manter a política de oposição a Israel. Com informações Times of Israel

 

 



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias