MENU

Após igreja ser demolida, pastor avisa: “Não vamos parar de louvar a Deus”

Muçulmano falsificou documentos para desapropriar terreno da igreja


Autoridades no Sudão demoliram o templo de uma igreja evangélica no norte da capital Cartum neste domingo (11). Os 64 membros da Igreja Presbiteriana de Al Haj Yousif relatam que os policiais acompanharam os homens que dirigiam três caminhões e uma escavadeira e derrubou o prédio sem aviso prévio.

A demolição começou algumas horas após o culto. “Eles tiraram tudo da igreja”, lamenta o pastor. Yahia Abdelrahim Nalu, que preside a Igreja Presbiteriana do Sudão, confirmou a demolição. “Essas ações não nos impedirão de orar e louvar a Deus!”, afirmou ele ao Morning Star News. “Deus é o Todo-Poderoso”, lembrou, acrescentando que eles realizarão o culto em outro lugar no próximo domingo.

Leia mais

Este incidente gerou mais indignação entre os cristãos no Sudão, que vem sofrendo ataques constantes do governo islâmico, mostrando que é crescente seu ódio aos cristãos.

Em sua campanha para livrar o país do cristianismo, o Sudão demoliu pelo menos 25 igrejas nos últimos meses, alegando que foram construídas de maneira irregular.

No caso da Igreja Presbiteriana de Al Haj Yousif, seus líderes relatam que alguns muçulmanos afirmam ser os donos do terreno forjaram documentos, simulando uma compra em 1989, e um juiz no ano passado deu ganho de causa a eles.

Os policiais vieram para evitar possíveis confrontos. Eles entraram na igreja e confiscaram cadeiras, mesas e Bíblias antes da demolição.

Esse é o segundo caso similar este mês. Em 5 de fevereiro, um tribunal multou sete cristãos por defenderem a propriedade da igreja.

O ministro sudanês de Orientação e Doações anunciou em abril de 2013 que não seria permitida a construção de novas igrejas no Sudão. Desde a separação do Sudão do Sul, em 2011, o governo expulsou todos os missionários cristãos estrangeiros e começou a desapropriação de propriedades pertencentes a igrejas, como escolas e templos. Também fecharam livrarias cristãs.

Devido ao seu tratamento duro contra os cristãos e outras violações dos direitos humanos, o Sudão atualmente ocupa o quarto lugar no ranking der perseguição elaborado pela missão Portas Abertas. Com informações Morning Star News

 



Assuntos:


Deixe seu comentário!


Mais notícias