MENU

Após sessões de tortura, pastor chinês sai da prisão louvando a Deus

Yang Hua está seriamente doente, mas sofrimento não abalou sua fé


Pastor Yang Hua
Pastor Yang Hua ministrando antes de ir para prisão. (Foto: China AID)

Um pastor chinês da província de Guizhou, China, que foi torturado pelas autoridades para confessar acusações de espionagem, foi libertado da prisão nesta terça-feira (19). Yang Hua, da Igreja Pedra Viva, saiu do local louvando a Deus quando foi liberado, após dois anos e meio de cárcere.

Nenhuma das acusações foram provadas. A Missão Christian Solidarity Worldwide (CSW) explica que Yang voltou para casa, mas está sofrendo de vários problemas de saúde e precisa de tratamento.

Leia mais

O pastor foi preso em dezembro de 2015, acusado de espionagem contra o Partido Comunista. Na ocasião, sua igreja foi invadida e fechada. O computador da igreja foi confiscado e suas contas bancárias, congeladas.

O advogado Zhao Yonglin, que defendeu o religioso, denunciou em janeiro de 2017 que Yang havia sido torturado na prisão. Su Tianfu, outro líder da mesma igreja, foi detido e ambos foram multados em mais de U$ 1 milhão por “arrecadação de doações ilegais dos membros da congregação”. Eles sempre argumentaram que o dinheiro era dado livremente pelos crentes.

Mervyn Thomas, diretor executivo da CSW afirmou: “Estamos extremamente preocupados com a opressão das autoridades sobre comunidades religiosas independentes na China, em particular o uso de detenções arbitrárias e tortura para pressionar os líderes religiosos a interromperem suas atividades”, acrescentou.

A missão ChinaAid forneceu mais detalhes sobre a libertação de Yang, observando que, por conta das agressões sofridas na prisão, o pastor contraiu vasculite – inflamação de vasos sanguíneos – o que o deixou incapacitado de andar. Por falta de higiene básica, enquanto estava preso, ele também contraiu diabetes.

Nada disso parece ter abalado sua fé. Sua esposa, Wang Hongwu, testemunha que o pastor “começou a cantar em alta voz após sua libertação”, apesar de tudo o que ele passou. “Embora meu marido tenha experimentado a desgraça, sua crença permanece firme”, acrescentou. Com informações Christian Post




Deixe seu comentário!


Mais notícias