Após denúncia, app Sim Simi é removido da lista do Google

Aplicativo de respostas automáticas preocupa pais com conversas automáticas com crianças.


Sim Simi
Sim Simi

Após ganhar repercussão na mídia de todo o Brasil, o aplicativo Sim Simi foi removido na manhã desta sexta-feira (20) da lista de app disponíveis para download no Google Play Store. O jogo polêmico estava disponível até ontem (19) na loja de aplicativos da empresa.

Para quem ainda nunca ouviu falar, o Sim Simi é um aplicativo que usa a tecnologia de inteligência artificial para conversar com os usuários. O robô é acusado de enviar mensagens ofensivas com palavrões, conteúdo sexual e até mesmo ameaças de morte.

O aplicativo coreano é desenvolvido pela empresa SimSimi Inc. A empresa mantém outros jogos na loja do Play Store. Apesar de existir desde 2014, só agora, depois da denúncia, que o caso ganhou repercussão. O app gratuito funcionava como um chat capaz de conversar com as pessoas com respostas automáticas. As conversas eram conduzidas por um personagem amarelo e simpático em um ambiente colorido e lúdico, por isso ganhou muita popularidade entre crianças e adolescentes.

A repercussão foi gerada por causa do conteúdo dessas conversas. O aplicativo é capaz de desenvolver diálogos preconceituosos, incentivar o bullying e ainda ameaçar o usuário.

Apesar da classificação indicativa de 16 anos, qualquer um conseguia fazer a instalação, inclusive crianças. Não havia nenhum tipo de bloqueio, mesmo quando o usuário no momento do cadastro informava sua data de nascimento.

Fizemos o teste ainda ontem, quando o jogo ainda estava disponível. Iniciamos uma conversa com o robô do app. Informamos no cadastro a idade de oito anos. Durante a conversa o personagem foi capaz de xingar artistas de TV, fazer o convite para sexo e ainda ameaças de estrupo e morte.

No diálogo perguntamos o que tinha pra fazer de legal e o rôbo respondeu: “Sim, vamos, mas o que, sexo?” em seguida fez o convite de namoro: “Namora comigo?! Te amo mais que tudo e o mais importante, nunca vou te abandonar”.

Em outro momento, a conversa fica mais agressiva e o personagem ameaça “Amarrado vai estar você em minha cama, quando eu te sequestrar e te estuprar violentamente de formas que só o próprio Diabo saberia fazer”.

Mesmo com alguns recursos de controle ativados como, por exemplo, “remover termos ofensivos”, “proteger nomes” e reportar uma frase”, as ofensas não eram removidas totalmente.

Por hora, o aplicativo não pode mais ser baixado. A exclusão aconteceu justamente no momento em que o caso havia tomado uma dimensão grande na mídia. O Google não se manifestou sobre a remoção do aplicativo. Procuramos a assessoria de imprensa da empresa e até o momento da publicação desta reportagem, não recebemos retorno.





Deixe seu comentário!