Australia persegue igreja que faz campanha contra islamização

Pastor afirma que continuará alertando para ameaça muçulmana


Australia persegue igreja que faz campanha contra islamização

A igreja evangélica Catch the Fire [Receba o Fogo], de Melbourne, Austrália teve sua condição de instituição de caridade revogada pelas autoridades. Isso significa que perdeu as isenções e precisará pagar impostos, além de ter problemas para continuar com parte de seu ministério.

O motivo alegado pelo governo é o envolvimento da entidade religiosa com uma campanha anti-islamização que ocorre no país, comandada pelo partido Rise Up [Levante-se]. Segundo a legislação australiana, as instituições de cunho religioso não podem participar de “atividades políticas”, nem fazer campanhas eleitorais nos templos.

A Catch the Fire alega estar sendo vítima de “discriminação”. Mesmo assim, o pastor Daniel Nalliah, líder do ministério diz que nada mudará. Ele é um dos membros fundadores do Rise up Austrália, que iniciou suas atividades em 2013.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Sua plataforma conservadora é anti-islâmica, anti-multiculturalista e vem sendo tachada pela imprensa de “extrema direita”. A sigla lançou candidatos pela primeira vez nas eleições federais do ano passado, mas não teve sucesso.

Como Nalliah passou a anunciar a agenda política do partido no púlpito, a Catch the Fire foi alertada que perderia seu “status” de organização beneficente. Como ele continuou, a  Comissão Australiana de Beneficência e Caridade (ACNC) anunciou a exclusão da igreja.

O pastor Daniel disse que a Catch the Fire sempre foi uma igreja “abertamente política” desde sua fundação, em 1998. “Minha resposta a eles foi: o que há de novo?”, conta o líder religioso.

“Se somos uma instituição de caridade não podemos ter opinião? Isso é discriminação”, reclamou ele à rede ABC.

Em 2014, a igreja organizou a conferência “Congresso Mundial das Famílias”, onde passou a defender mensagens antiaborto e contrária ao casamento gay. A Catch de Fire acredita que está sendo perseguida por destoar do discurso politicamente correto, imposto como norma na sociedade australiana.

Nos últimos anos, o crescimento do Islã e a vinda de milhares de refugiados do Oriente Médio geraram preocupação de parte da sociedade, em especial depois de alguns ataques terroristas realizados por simpatizantes do Estado Islâmico.

Nalliah admite que muitos membros da igreja fizeram doações em dinheiro para o partido político, mas que elas sabiam distinguir uma coisa da outra. Ele defende que os cristãos têm a obrigação de se envolver politicamente e defender seus ideais.

O Rise Up não é o único partido político que luta contra a islamização da Austrália. O Partido Pela Liberdade, que também tem muitos evangélicos como apoiadores, já invadiu igrejas para mostrar como pode ser o futuro, caso o governo não tome atitudes imediatas.

Segundo eles, “Os lobbies étnicos e multiculturalistas são totalitários e estão pedindo leis mais restritivas da nossa liberdade de expressão”.




Deixe seu comentário!