Barack Obama segue tradição e participa da celebração do Ramadã

Muitos eleitores acreditam que ele seja muçulmano, motivo esse que afastaria muitas das intenções de votos


Obama segue tradição e participa da celebração do Ramadã

Seguindo a tradição dos presidentes americanos, Barack Obama esteve participando na última sexta-feira (10) do iftar, o desjejum feito pelos muçulmanos após o pôr-do-sol. Os praticantes do islamismo estão praticando o chamado Ramadã, período sagrado onde jejuam durante todo o dia.

A tradição começou com Bill Clinton no final dos anos 1990 e foi seguida por seus sucessores, tendo a participação de líderes políticos, diplomatas e religiosos da comunidade islâmica dos Estados Unidos.

Mas ao participar da formalidade o presidente que tenta a reeleição voltou a ser criticado, já que boa parte dos eleitores acredita que Obama seja um muçulmano. Os boatos aumentaram porque durante o desjejum ele ainda discursou a favor de Huma Abedin, conselheira da secretária americana de Estado, Hillary Clinton, que supostamente tem ligações com o islã.

Abedin foi acusada pela ex-candidata republicana à presidência, Michele Bachmann, de conspirar com os muçulmanos para influenciar a política externa dos EUA. Mas para Obama Huma merece reconhecimento por ser “uma americana patriota e um exemplo” de decência e generosidade.

Mesmo dizendo que é cristão, o atual presidente sempre levantou suspeitas, principalmente depois de dizer publicamente que é favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e ao aborto. Por esses e outros motivos muitos eleitores afirmam que não vão votar em Barack Obama por ele ser “muçulmano” e outros dizem até que o presidente é pagão.

O candidato Mitt Romney, republicano, também enfrenta rejeição por sua religiosidade, ele é da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, e nos Estados Unidos os mórmons não são considerados cristãos.

Com informações Terra e Gazeta do Povo




Deixe seu comentário!