Bispo Rodrigues é condenado a 6 anos e 3 meses pelo STF

O ex-religioso que tinha ligações com a IURD é um dos réus no processo do mensalão


Bispo Rodrigues é condenado a 6 anos e 3 meses pelo STF

Foi definida nesta segunda-feira (26) a pena do ex-deputado do extinto PL (atual PR) Bispo Rodrigues, que foi julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão.

A decisão foi de 6 anos e 3 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus também terá que pagar uma multa no valor de R$696 mil, o equivalente a 290 dias-multa.

Carlos Alberto Rodrigues Pinto é acusado de ter recebido R$150 mil do chamado “valerioduto”, o dinheiro era oferecido em troca de apoio no Congresso durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Pelo crime de corrupção passiva os ministros do STF julgaram por 3 anos de reclusão mais multa de R$360 mil. Pelo de lavagem de dinheiro a pena foi de 3 anos e 3 meses de reclusão e a multa de R$336 mil.

O advogado de defesa chegou a pedir a redução da pena do bispo Rodrigues por ele ter confessado o recebimento de dinheiro. Mas o relator da ação, o ministro Joaquim Barbosa, indeferiu o pedido.

Rodrigues era um dos braços direito de Edir Macedo, se elegeu como deputado federal em 1999 e foi reeleito em 2004, ano em que perdeu o cargo na igreja.

O nome do ex-bispo foi citado em diversos casos de corrupção, entre eles o Escândalo dos Bingos e a Máfia dos sanguessugas. Em setembro de 2005 ele renunciou ao cargo depois que o mensalão veio à tona.




Deixe seu comentário!