MENU

Bolsonaro tem mais que o dobro de votos de Haddad entre evangélicos

Análise de dados da pesquisa mostra preferência consolidada


Jair Bolsonaro e Fernando Haddad
Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. (Foto: Divulgação / Montagem)

Na pesquisa mais recente publicada pelo Datafolha, a preferência dos eleitores evangélicos por Jair Bolsonaro (PSL) é mais que o dobro do que os que apoiam Fernando Haddad (PT).

Levando em conta somente os votos válidos (exclui brancos/nulos e indecisos), o capitão reformado tem 70% das intenções nesse segmento, e o petista os outros 30%. Ciente disso, o ex-prefeito de São Paulo vem procurando aproximação com pastores e igrejas que ainda não se posicioaram.

Leia mais

Já entre os católicos, Bolsonaro também vence, mas a margem é bem menor: 46% contra 40% de Haddad. Somados, evangélicos (31%) e católicos (55%) são o maior bloco religioso do Brasil.

Estratificação

A pesquisa do Datafolha permite ainda que se olhe para o desempenho de Bolsonaro entre os pentecostais (63%). É desse grupo que veio o apoio da maior denominação evangélica do país: a Assembleia de Deus, com mais de 20 milhões de membros.

Pastores assembleianos conhecidos, como José Wellington Bezerra da Costa, do Ministério Belém, o maior de todos, e Silas Malafaia, do Vitória em Cristo, declararam apoio publicamente ao pesselista.

Entre os neopentecostais, advindos de igrejas como a Mundial do Poder de Deus, Bolsonaro é a escolha de 55% dos entrevistados. Edir Macedo apoiou Bolsonaro na reta final do primeiro turno, enquanto Valdemiro Santiago só aderiu depois de o resultado ser divulgado no último domingo.

Considerando o público das chamadas igrejas evangélicas tradicionais (batista, metodista, Presbiteriana), Bolsonaro tem 58%.

O Datafolha perguntou ainda se o endosso da evangélica Marina Silva (Rede) afetaria sua escolha. Apenas 12% indicaram que sim. Ela já disse que no segundo turno apoiará Haddad que, como ela, foi ministro de Lula.

A margem de erro do levantamento é de dois pontos para mais ou para menos. O Instituto ouviu 3.235 pessoas em 227 municípios do país nesta quarta-feira (10).



Assuntos: , , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias