MENU

Bolsonaro se encontra com assessor de Trump e debate “cooperação” bilateral

John Bolton esteve na casa do presidente eleito no Rio de Janeiro


Augusto Heleno, Jair Bolsonaro, John Bolton, Fernando Azevedo e Ernesto Araújo
Augusto Heleno, Jair Bolsonaro, John Bolton, Fernando Azevedo e Ernesto Araújo. (Foto: Twitter / Jair Bolsonaro)

O assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, esteve na manhã desta quinta-feira (29), com o presidente eleito Jair Bolsonaro. O encontro que durou uma hora, aconteceu na casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Além de Jair, estiveram presentes Flávio Bolsonaro e três futuros ministros: Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e os generais Augusto Heleno (Segurança Institucional) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa).

Leia mais

Ao confirmar que viria ao Brasil, na terça, Bolton afirmou em entrevista na Casa Branca que “seria útil para os Estados Unidos ouvir do presidente eleito as suas prioridades, o que ele pretende no relacionamento (entre os dois países)”. Disse ainda que “na perspectiva dos EUA, vemos essa como uma oportunidade histórica para o Brasil e para os Estados Unidos de trabalhar juntos em várias áreas como economia e segurança.”

O encontro foi a portas fechadas e divulgado pelas redes sociais de Bolsonaro. Bolton, que chegou à casa do presidente eleito sob forte esquema de segurança, não falou com a imprensa. Nos últimos dias ele vem anunciando que sua agenda prioritária é a situação vivida em países como Cuba, Venezuela e Nicarágua, que chama de “troika do mal”.

Amanhã, o assessor de Trump estará em Buenos Aires participando da reunião do G20. A expectativa é que ele peça apoio a países como Brasil, Argentina e Colêmbia para facilitar a “mudança de regime” nestes países latinos, em defesa da “democracia e dos direitos humanos”.

Parceria

O general Augusto Heleno disse a Bolton que Brasil e EUA devem reforçar seus laços bilaterais devido às proximidades “geográficas e geopolíticas” entre os dois países. “Temos que nos aproximar. Isso parece muito importante”, disse.

Em sua conta no Twitter, Bolton assegurou que a reunião foi “ampla e muito produtiva”. Em nome do presidente americano Donald Trump, convidou o futuro mandatário brasileiro para visitar os Estados Unidos. “Estendi o convite do presidente Trump para Jair Bolsonaro visitar os EUA. Nós esperamos uma parceira dinâmica com o Brasil”, escreveu.



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!