Pastor diz que proibição bíblica de tatuagens “não vale para hoje”

Na opinião de Carl Lentz, tatuagem não é um pecado, pois é uma questão de interpretação


Pastor diz que proibição bíblica de tatuagens "não vale para hoje"

O pastor da Hillsong New York, Carl Lentz, falou recentemente sobre as críticas que ele frequentemente recebe dos cristãos por ter várias tatuagens. Durante entrevista ao World Religion News, ele foi questionado sobre como ele via os textos bíblicos que falam sobre “não marcar o corpo”.

“A interpretação bíblica é variada. Então, quando você fala que as tatuagens não são permitidas, refere-se a Levítico… Como esse paradoxo das Escrituras, a interpretação realmente faz parte de nossa fé, mesmo envolvendo tensão. Então, por um lado dizemos que isso é parte do Antigo Testamento, não há texto do Novo Testamento falando disso. Essa lei referia-se a escravos, que identificavam assim quem era parte de uma tribo. Não acreditamos que isso tenha validade depois da cruz”, disse Lentz.

O texto de Levítico 19:28, a que ele se refere, na Nova Versão Internacional, diz: “Não façam cortes em seus corpos por causa dos mortos, nem tatuagem em si mesmos. Eu sou o Senhor”.  Em traduções mais literais, como a Almeida Revista, o termo é “marca”.

Para o pastor da Hillsong, trata-se de uma questão clara, “Não acreditamos que, após a morte e ressurreição de Jesus, a antiga lei levítica se aplicou à nossa vida. Isso é ridículo”.  Fazendo uma avaliação teológica, ele explica que “Da maneira como vejo, literalmente, temos o Antigo Testamento e colocamos a cruz no meio, depois colocamos o Novo Testamento. Nós dizemos que qualquer coisa que permanece após a cruz é eterna. Tudo o que fica ali pertence ao Antigo Testamento”.

Aprofundando a questão, Lentz citou como exemplo os sacrifícios de sangue animal requeridos no Antigo Testamento, que não se aplicam mais depois que Jesus se tornou o cordeiro sacrificial.

“Honrar sua esposa como Deus honra sua igreja é algo que permanece após a cruz. Então, esse é o nosso alcance na interpretação das Escrituras. Se morreu na cruz, então precisa morrer em nossa teologia. As tatuagens não deveriam ser um problema difícil. Jesus foi bem claro em todos os detalhes”, explicou. “Se fala sobre dieta, sua aparência ou sua qualificação, bem, essas coisas morreram na cruz”.

Obviamente, o pastor de 39 anos enfatizou que cada cristão deve agir de acordo com sua própria convicção pessoal quando se trata de tatuagens. “Se eu não acredito que essas tatuagens desvalorizem o templo do Espírito Santo, que é meu corpo, então tudo bem. Eu não penso assim, mas não vou transformar minha convicção necessariamente em uma teologia ou doutrina”, encerrou.

Alguns famosos como Justin Bieber, o astro do basquete Kevin Durant e Selena Gomez, frequentam a igreja liderada por Lentz e todos possuem tatuagens. Com informações World Religion News

 




Deixe seu comentário!