Cientista é demitido de universidade por questionar idade de dinossauro

Ele encontrou um tecido mole em uma amostra, o que poderia comprovar que a espécie tem poucos milhares de anos


Cientista é demitido por questionar idade de dinossauro

Um cientista foi demitido da Universidade Estadual da Califórnia (UEC), em Northridge (Estados Unidos), por questionar a idade dos dinossauros.

Mark Armitage trabalhava na escavação de Hell Creek, em Montana, e encontrou um chifre de Tricerátops. Ao analisar o achado com um microscópio, o cientista encontrou tecidos moles na amostra.

A teoria de Armitage, que é um cientista criacionista, sempre foi que os dinossauros possuem milhares de anos e não 60 milhões de anos como os darwinistas acreditam.


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


A prova que o pesquisador precisava para sustentar sua teoria estava em suas mãos, mas a UEC achou melhor demiti-lo, o que para o advogado do cientista, Brad Dacus, se enquadra como perseguição religiosa.

O advogado afirma que a descoberta de tecidos moles no chifre de Tricerátops deixou os membros do departamento de biologia da universidade e os estudantes espantados. Isso porque a presença desses tecidos leva a crer que os dinossauros viviam no planeta há relativamente pouco tempo.

Para os criacionistas, como Armitage, os tricerátops têm apenas 4.000 anos de idade, no máximo, mas para os outros cientistas os dinossauros teriam sido extintos há 60 milhões de anos.

De acordo com a CBS de Los Angeles, Brad Dacus entrou na justiça para que Armitage tenha o trabalho de volta ou que a universidade assuma que agiu com preconceito por demiti-lo pelo questionamento sobre a descoberta. De acordo com o cientista, o contrato foi encerrado com um oficial da UEC dizendo à ele: “Nós não vamos tolerar sua religião neste departamento!”.

“Demitir um empregado por causa de suas crenças religiosas é totalmente inapropriado e ilegal”, disse o advogado por meio de um comunicado. “Mas fazer isso em uma tentativa de silenciar o discurso científico em uma universidade pública é ainda mais alarmante. Isso deve ser um alerta e aviso para todo o mundo acadêmico. ”

A descoberta de Armitage não é a primeira do mundo científico, outros fósseis de dinossauros já foram encontrados com tecidos moles. Para não aceitar que os criacionistas têm razão em relação a idade dessas espécies, a comunidade científica prefere dizer que o tecido mole de 68 milhões de anos acontece por conta do ferro presente no corpo do dinossauro que pode preservar o tecido por tantos anos.




Deixe seu comentário!