Cientistas criam primeiro embrião artificial, sem óvulos nem espermatozoides

Protótipo é de um camundongo, mas abre portas para experimentos com humanos


Cientistas criam embrião artificial, sem óvulos nem espermatozoides

 

Usando uma plataforma 3D e dois tipos de células-tronco, cientistas no Reino Unido conseguiram gerar, pela primeira vez, uma estrutura que assemelha com um embrião de um camundongo. Segundo eles, o objetivo é aprofundar a compreensão dos estágios iniciais do desenvolvimento de um mamífero.

Eles publicaram suas descobertas na revista Science. A equipe da Universidade de Cambridge insiste que o embrião artificial mesmo se assemelhando muito com o real dificilmente poderia  desenvolver um feto saudável.

O foco da sua pesquisa era mostrar como o embrião artificial segue o mesmo padrão de desenvolvimento de um embrião normal. As células-tronco se organizam da mesma maneira.

Magdalena Zernicka-Goetz, professora do Departamento de Fisiologia, Desenvolvimento e Neurociência da Universidade de Cambridge, acredita que o sucesso obtido com as células de camundongo oferecerá oportunidades para trabalhos similares com células humanas.

A professora reclama que os embriões humanos usados em pesquisa são gerados a partir de óvulos “excedentes”, doados por clínicas de fertilidade. Ela e sua equipe defendem que, no futuro, será possível usar as células-tronco para gerar embriões artificiais.

“Isso vai nos permitir estudar eventos chaves desse estágio crítico do desenvolvimento humano sem ter que de fato trabalhar com embriões”, declarou. Com informações BBC