Coreia do Norte ameaça bombardear Israel

Ameaças geram especulação sobre antiga “profecia” de rabino


Coreia do Norte ameaça bombardear Israel

A Coreia do Norte ameaçou bombardear Israel e chamou os comentários do ministro de Defesa Avigdor Liberman de “precipitados e maliciosos”. O incidente diplomático ocorreu neste sábado (29) após ele ter chamado o líder coreano Kim Jong Un de “extremista e louco”.

Em um comunicado oficial do Ministério de Exterior, Pyongyang disse que Liberman desafiou a Coreia do Norte ao fazer comentários “maliciosos” contra a nação. A resposta foi: “Nossa mensagem constante é castigar sem piedade aos que ofendem a nossa dignidade. Advertimos a Israel a pensar melhor sobre as implicações de sua campanha de difamação contra nós”.



A declaração norte-coreana repreendeu Israel por sua política nuclear, e acusou o Estado judeu de abusar dos direitos dos árabes em todo o Oriente Médio, relata o jornal Times of Israel.

“Israel é o único portador ilegal de armas nucleares que contam com o apoio dos Estados Unidos, mas Israel está atacando a Coreia do Norte por possuirmos armas nucleares”, insiste o documento, que acusa “a ocupação israelense” de cometer “crimes conta a humanidade”.

O ministro israelense havia dito que Pyongyang “parece ter cruzado a linha vermelha com seus testes nucleares”, acrescentando que o seu programa de armas nucleares é uma ameaça maior para a ordem mundial que o Irã ou qualquer grupo terrorista.



Liberman lembrou ainda que o regime norte-coreano era aliado da Síria, do Irã e do Hezbollah, inimigos declarados de Israel. Para ele, todos formam um “eixo do mal” cujo objetivo é “desestabilizar o mundo inteiro”.

Profecia do rabino

Em meio a essas ameaças, os seguidores do famoso rabino Levi Sa’adia Nachamani lembram de uma “profecia” dada por ele 22 anos atrás, quando a Coreia do Norte não era vista como um “perigo nuclear”.



Num vídeo gravado em 1994, um mês antes dele morrer, o rabino surpreendentemente advertiu que, dentre todas as ameaças a Israel, a Coréia do Norte representava o maior perigo.

“Não é a Síria, nem a Pérsia [Irã], nem a Babilônia [Iraque], ou Gadafi [Líbia]”, alerta Nachamani, citando as maiores ameaças de Israel na época. “A Coreia chegará até aqui.” Acrescentou ainda que ela seria a “ chave” para a guerra final de Gogue e Magogue.

A predição, vista por muitos com um aviso profético, do rabino era chocante por muitas razões. Ele já havia predito com precisão a Guerra dos Seis Dias em 1967 e a Guerra do Iom Kippur em 1973. Por isso, suas previsões tinham muita credibilidade.

Contudo, na década de 1990, era inconcebível imaginar as ameaças que ele via na Coreia do Norte. Em 1994 o país sequer era considerado uma ameaça real para qualquer outro país além da Coréia do Sul.

Após seu primeiro teste nuclear há dez anos, o regime norte-coreano vem aumentando suas ameaças frequentemente. Seu programa de mísseis fez com que recebesse sanções da ONU e de países vizinhos.

As  intenções agressivas da Coréia do Norte agora enfrentam uma resposta clara do presidente Donald Trump, que ameaça iniciar uma guerra. A Casa Branca já anunciou que os Estados Unidos estavam “muito perto” disso e o fato de terem enviado uma frota para a região só aumentou as especulações de um conflito.

Veja a previsão do Rabino Nachmani (em hebraico com legendas em inglês):

Explicação do vídeo

Dov Bar Leib, um blogueiro judeu especializado em escatologia, explicou que o rabino Nachmani falava sobre uma aparente fusão das Coreias, o que parece não fazer sentido. O líder religioso cita Deuteronômio 32:21-22 e destaca que ‘Sheol’ viria a Israel.

O texto diz: “Provocaram-me os ciúmes com aquilo que nem deus é e irritaram-me com seus ídolos inúteis. Farei que tenham ciúmes de quem não é meu povo; eu os provocarei à ira por meio de uma nação insensata. Pois um fogo foi aceso pela minha ira, fogo que queimará até as profundezas do Sheol. Ele devorará a terra e as suas colheitas e consumirá os alicerces dos montes”.

A tradução mais comum desse termo hebraico é “inferno”, sendo que ele se escreve da mesma maneira que Seul, capital da Coreia do Sul.

“O rabino Nachmani estava insinuando que o fogo de Deus citado no versículo é uma guerra nuclear que começaria entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. Quando a Coreia do Norte atacar Seul, essas mesmas armas nucleares serão usadas pelo Irã para ameaçar Israel”, esclareceu.

A aliança entre o Irã e a Coreia do Norte pode parecer ilógica, uma vez que as duas nações têm muito pouco em comum. Elas não seguem a mesma religião nem fazem fronteira. O que colaborou para sua união é justamente seus programas nucleares, pois compartilham tecnologia. Além disso, ambas gostam de demonstrar seu ódio pelos Estados Unidos e seus aliados.




Deixe seu comentário!