Cristão que alimenta moradores de rua volta a ser preso

Homem de 90 anos alimenta moradores de rua para mostrar o amor cristão


Cristão que alimenta moradores de rua volta a ser preso

Na semana passada, o pastor Dwayne Black, o pastor Mark Sims e o senhor Arnold Abbott, de 90 anos de idade, foram presos por alimentar moradores de rua. Devido a uma nova lei da cidade de Fort Lauderdale, na Flórida, terão de pagar uma multa de US$ 500 e passar até 60 dias de cárcere.

Enquanto o processo corre no tribunal, eles aguardam o julgamento em liberdade. Ele iniciou o ministério “Ame seu próximo” em 1991 e desde então distribuiu comida na tentativa de demonstrar o amor cristão.

Ao sair da delegacia, Abott avisou que não iria parar. “Eu sei que posso ser preso de novo e estou preparado para isso. Eu sou responsável pelo meu próximo. O que eles estão fazendo é simplesmente cruel…. Estes são os mais pobres entre os pobres, que não têm nada. Sequer têm um teto sobre suas cabeças. Como você vai mandá-los embora?”.


  Psicólogo ajuda cristãos a vencer o vício da pornografia


Ele cumpriu sua promessa e voltou a distribuir comida na rua. Resultado? Foi preso novamente! Obviamente o fato chamou atenção da mídia e acirrou o debate sobre a proibição da prefeitura, que exige que a distribuição de alimentos só pode ser feita se também for oferecido um banheiro químico portátil e para isso é necessário uma licença espacial.

“O problema é que os funcionários municipais não têm uma pequena coisa chamada compaixão”, diz Abbott à rede BBC.

Em consequência da sua nova prisão, ele terá de responder novamente pelo mesmo “crime”, o que significa que a multa chegará a mil dólares e ele pode ficar 120 dias preso.

Abbott conta que recebeu mensagens de apoio de milhares de pessoas. Nos EUA, ele é tratado como uma espécie de herói na internet e recebeu o apelido de “Don Quixote”, por insistir em lutar contra algo muito maior que ele. “Eu sou ateia, mas acredito que Deus iria dar graças por ter criado alguém à sua imagem e semelhança”, escreveu Donna Cherwinski em uma mensagem no Facebook.

As prisões de Abbott também inspiraram outros ativistas locais, que estão anunciando atos de desobediência civil na tentativa de forçar o prefeito a revogar a lei. O ativista Aaron Jackson foi multado por dar pizzas em frente da Câmara Municipal.

Outro ativista, Charles Lachaine, instalou numa das principais ruas da cidade uma tenda com um grande cartaz que dizia “Comida Grátis”. Um grupo de defensores dos direitos dos sem teto fez uma manifestação pacífica em frente à casa do prefeito. Em nenhum dos eventos houve prisões.

Um canal de TV colocou Abbott e Seiler para debater a questão ao vivo em um programa. Mas nenhum dos dois mudou de ideia. Abbott ainda avisou que não irá parar com as atividades de seu ministério, e que tem o apoio contínuo dos voluntários de sua igreja, incluindo os dois pastores.

Existem cerca de 10.000 moradores de rua em Fort Lauderdale. O prefeito Jack Seiler explica “Acreditamos em uma abordagem holística e não em atividades fragmentadas”. Explicou ainda que Abbott pode alimentar as pessoas sem problema, desde que seja dentro da sua igreja. Com informações de Sun Sentinel




Deixe seu comentário!