MENU

Cristãos devem “desapegar” do Antigo Testamento, defende pastor

Andy Stanley acredita que ele não deveria ser "a fonte para o comportamento da igreja"


Andy Stanley
Andy Stanley ministrando. (Foto: Reprodução / Youtube)

O pastor da megaigreja North Point, Andy Stanley, acredita que os cristãos precisam “desapegar” do Antigo Testamento. Em um levantamento recente, Andy Stanley foi considerado um dos 10 pastores mais influentes do momento.

Além de pastorear mais de 8 mil membros de sua igreja, ele prega constantemente em eventos para líderes evangélicos e seus livros estão disponíveis em várias línguas, incluindo o português.

Leia mais

Durante seu sermão na semana passada, defendeu que, embora acredite que o Antigo Testamento seja “divinamente inspirado”, não deveria ser “a fonte para medir o comportamento da igreja”.

Para justificar isso, Stanley usou o texto de Atos 15, que narra como a igreja primitiva decidiu que os gentios convertidos não precisavam observar estritamente a lei judaica para se tornarem cristãos.

“Os líderes da Igreja [do primeiro século] desassociaram a igreja da visão de mundo, do sistema de valores e dos regulamentos das escrituras judaicas”, disse Stanley. “Pedro, Tiago e Paulo chamavam os eleitos para desatrelar a fé cristã de suas tradições e nós também deveríamos.”

Para Stanley, seguir o exemplo dado Atos 15 nos ajudaria a “não dificultar as coisas para os gentios que estão se voltando para Deus”.

O pastor entende que muitos cristãos estariam se afastando da fé por causa de certas passagens da Bíblia hebraica, comumente usadas pelos críticos para retratar o cristianismo como intolerante.

“Na nova aliança de Jesus, Sua aliança com as nações, o seu pacto com a gente, depende de sua ressurreição e não precisa ser sustentada pelas Escrituras judaicas”, asseverou. Ainda segundo ele, “A Bíblia não criou o cristianismo, ele é resultado da ressurreição de Jesus. Todo o argumento de defesa do Antigo Testamento pode desmoronar diante dessa questão.”

Acostumado a declarações consideradas polêmicas, Stanley reconheceu que essa ideia pode ser considerada “um pouco perturbadora” para alguns, mas que devia ser “libertadora”.

“É libertador para as pessoas que precisam entender a graça, que precisam compreender o perdão. É libertador para as pessoas que acham que é praticamente impossível adotar a visão de mundo e o sistema de valores representados na história do antigo Israel”, insiste.

Apesar de pedir para que a Igreja “desapegue” do Antigo Testamento, Stanley reafirma que o Antigo Testamento possui inegável importância. “As escrituras judaicas são um pano de fundo da história principal”, explicou. “É uma história importante e divinamente inspirada… É a fabulosa história de Deus jogando pelas regras dos reinos deste mundo, para estabelecer um reino que não é deste mundo.”

Esse sermão de Stanley faz parte de uma série, onde ele defende que a Igreja repense várias questões no século 21. No mês passado, ele fez um sermão defendendo a ideia de que “A unidade da igreja é mais importante que ser teologicamente correto”. Com informações Christian Post



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias