MENU

Cristãos se tornarão “inimigos da sociedade” por se oporem ao movimento LGBT, adverte pastor

Gavin Peacock pede que Igreja precisa lutar pela fé, pois esse é o nosso chamado


Imagem: Premier

O pastor Gavin Peacock, da Igreja de Calgary Grace, no Canadá, prega com frequência sobre questões como ética sexual. Falando sobre as críticas que recebe por opor-se à agenda LGBT num país onde o casamento homoafetivo é legal, ele diz que já está acostumado a ser acusado por ativistas de “intolerância”.

“Nos apegamos às Escrituras nestas questões. E [para eles] não estamos apenas errados por nos apegarmos às Escrituras, não somos amorosos e fazemos algo ilegal”, disse Peacock, enfatizando a palavra “ilegal”.

O líder evangélico acredita que a Igreja precisa tomar uma posição, mesmo se for vista como um incômodo. “Você estuda a história do martírio cristão. Eles foram mortos, assassinados, não por serem cristãos – embora saibamos que esse era o real motivo – mas por serem considerados inimigos do Estado.”

Peacock acredita que “do modo como as coisas vão, em breve nos tornaremos inimigos do Estado” também. “A pressão virá de qualquer jeito, chegará a todos que mantém sua posição… Só vai aumentar”, prevê.

Para ele, a questão que todos deveriam se fazer é: “Como vou responder?”. Citando o versículo 3 do Livro de Judas, destacou que os cristãos foram chamados para “batalhar pela fé”, independentemente de seu conhecimento apologético.

“Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes escrever acerca da salvação que compartilhamos, senti que era necessário escrever-lhes insistindo que batalhassem pela fé uma vez por todas confiada aos santos”, diz o texto.

“Não é uma opção”, destaca Peacock. “Você deve fazer isso se você é um cristão. Se tentar evitar isso, abandonará o Deus Triúno. Batalhar não é algo que fazemos por termos capacidade, mas por termos um chamado. Se você é chamado, então você deve lutar.”

A palestra do pastor, que nasceu na Inglaterra e foi jogador profissional de futebol antes de abraçar o ministério, ocorreu durante o evento organizado pelo “Conselho sobre Masculinidade e Feminilidade Bíblica”.

Em seu site oficial, seus idealizadores destacam: “A igreja primitiva lutou pela verdade sobre a cristologia. Os reformadores defenderam a verdade sobre a soteriologia. Hoje defendemos a verdade sobre a antropologia – o que é ser humano: distintamente masculino ou feminino criado à imagem de Deus e tudo o que isso implica”.

Com informações Christian Post

 




Deixe sua opinião!