MENU

Cristãos são executados por negarem-se a recitar declaração islâmica de fé

Terroristas do Al-Shabaab atacaram passageiros de um ônibus no Quênia


Jihadistas do Al Shabbab (imagem: Reuters)

Jihadistas do grupo terrorista Al-Shabaab executaram dois cristãos no Quênia. Eles invadiram um ônibus e forçaram todos os passageiros a recitarem a declaração de fé islâmica. Segundo a tradição, isso é o suficiente para uma pessoa ser considerada muçulmana.

A International Christian Concern explica que o ataque aconteceu na sexta-feira (14), quando sete militantes islâmicos pararam um ônibus que estava indo para Garissa. Como já haviam feito em outras ações do tipo, forçaram os passageiros a apresentar suas carteiras de identidade e os separaram em dois grupos: muçulmanos e cristãos.

Leia mais

Os que tinham nomes não-muçulmanos deveriam recitar a Shahada, a declaração de fé islâmica afirmando que somente Allah é Deus e Maomé seu profeta. Os dois homens que se negaram a fazê-lo foram executados no local.

“O ICC está acompanhando as famílias desses dois mártires. O intenso ódio e a violência desse grupo causaram grande dor a muitas famílias e amigos de cristãos como esses dois”, disse a ONG evangélica que monitora a perseguição religiosa.

O jornal The Star relatou o ataque, e destacou que os que aceitaram recitar a shahada foram e libertados.

O Al-Shabaab, originário da Somália, vem fazendo ataques contínuos no vizinho Quênia, sendo um dos grupos terroristas mais mortíferos da África.



Assuntos: , , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias