MENU

Crivella diz que sofre perseguição da Globo: “Inimiga dos evangélicos”

Ministério Público acusa prefeito de usar escolas públicas para "promover a Universal"


Marcelo Crivella
Marcelo Crivella

Nesta quarta-feira (11), o Ministério Público do Rio de Janeiro ajuizou uma ação civil pública contra o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB). A acusação é de “improbidade administrativa”, pois ele teria utilizado a máquina pública para atender a interesses de igrejas evangélicas.

A 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidade está conduzindo as investigações desde agosto do ano passado. Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, poderá responder por ter permitido a realização de eventos da igreja em escolas públicas e pelo encontro com pastores no Palácio da Cidade, sede do governo municipal do Rio.

Leia mais

Desde a semana passada, o jornal “O Globo”, vem fazendo denúncias sobre o prefeito, acusando-o de oferecer facilidades para os pastores, como ajuda para solucionar problemas com IPTU e auxílio aos fiéis que precisem de cirurgias de catarata, vasectomia e varizes.

Áudios vazados por alguém que estava na reunião mostram Crivella dizendo que existem vários projetos da prefeitura dos quais os evangélicos poderiam se beneficiar. Após a publicação do material, vereadores da oposição rapidamente conseguiram reunir assinaturas para a realização de uma sessão extraordinária da Câmara de Vereadores nesta quinta (12) que discutirá os pedidos de impeachment do prefeito.

Paralelamente, a ação do MP reclama da realização de censos religiosos na Guarda Municipal, a realização de um festival de cinema cristão na Cidade das Artes, o corte de patrocínio de eventos religiosos de matrizes afro-brasileiras, entre outras ações da prefeitura consideradas discriminatórias.

Na peça jurídica, a Promotoria solicita que Crivella se abstenha “de conceder privilégios para utilização de serviços e espaços públicos por pessoas ligadas ao seu grupo religioso”. Se essas determinações forem desrespeitadas, o MP recomenda que o prefeito seja afastado do cargo.

Caso seja condenado, ele pode ser obrigado a pagar uma multa de R$ 500 mil, além de perder o mandato e ter os direitos políticos suspensos.

Perseguição religiosa

Em entrevista ao SBT, o prefeito disse ser “tudo mentira”, e que a Globo teria “infiltrado” um repórter na reunião. “Todo mundo sabe que a Globo é inimiga jurada dos evangélicos, contra a família e a favor do aborto”.

Crivella reclamou de perseguição religiosa e afirmou que reuniões na prefeitura são uma “coisa normal”. “Já recebi lá moradores de comunidade, garçons, taxistas”, destacou, lembrando que em relação à cobrança do IPTU, “toda igreja no Brasil inteiro tem imunidade constitucional”.

Para ele, “o prefeito tem o dever de ajudar”, observando que o benefício também vale para centros espíritas e para a Igreja Católica. Sobre o tratamento de catarata, o prefeito explica que foram contratadas 15 mil cirurgias, sendo que 9.000 pacientes foram convocados, 3.000 já foram operados e 30% não compareceram. Portanto, haveria muitas disponíveis ainda.

Assista reportagem do SBT!

Entrevista ao vivo com Marcelo Crivella

Prefeito Marcelo Crivella fala ao vivo sobre a polêmica reunião com líderes evangélicos

Posted by SBT Rio on Monday, July 9, 2018




Deixe seu comentário!


Mais notícias