Deputado Cabo Daciolo será investigado pelo STF, mas alega inocência

Parlamentar cogita se lançar a presidente


Cabo Daciolo será investigado pelo STF, mas alega inocência

Conforme noticiou a revista Época nesta quarta-feira (13), o Supremo Tribunal Federal autorizou que sejam investigadas as denúncias contra o deputado federal Cabo Daciolo (Avante-RJ).

Em 2015, o tenente da reserva dos bombeiros do Rio de Janeiro, Júlio Peixoto, afirmou que haveria um “esquema” no gabinete, onde uma cota de 10% do salário dos funcionários era usado para bancar a Associação dos Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro (Abmerj) e o Movimento S.O.S. Bombeiros.

O ministro Marco Aurélio Mello comunicou que a Polícia Federal irá investigar a denúncia.

Daciolo se defende

Procurado pelo portal Gospel Prime, o deputado se manifestou por telefone, dizendo que está tranquilo e que é inocente. Ele afirma que irá provar sua inocência quando for notificado.

Segundo o parlamentar, a pessoa que o acusa sempre recebeu seu salário corretamente. Afirma inda que Peixoto é próximo dos ‘coronéis’ que são denunciados regularmente por ele e vê má fé do ex-funcionário.

Daciolo lembra que vem constantemente expondo o ‘crime organizado’ no Congresso Nacional e acredita que a solução seria uma intervenção militar. No domingo (17) fez um ato no Rio de Janeiro, pedindo a “intervenção divina” sobre o país.

Usando a mesma retórica que caracterizam seus discursos no Congresso, diz que é preciso fazer uma intervenção do mercado financeiro nacional. Reiterou que não irá concorrer a um novo mandato na Câmara dos Deputados, cogitando se lançar candidato a um cargo majoritário, como governador do Rio de Janeiro. Ele não descarta a possibilidade de tentar concorrer à presidência do país.

Daciolo está na Suíça, onde procurou o ex-delegado da PF e ex-deputado Protógones de Queiroz, que pediu asilo político naquele país. O deputado do Avante trabalha para que Queiroz seja anistiado. Inclusive, formalizou o convite para que ele seja seu vice nas próximas eleições.

No entendimento do Cabo, a atitude junto ao Supremo é uma retaliação às constantes denúncias que faz, que contrariam interesses de colegas do Congresso e políticos do seu Estado. Finalizou citando o texto de Mateus 5:10: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus”.

Convicto que a investigação do STF não provará nada contra ele, destaca que nesta segunda-feira (11) foi inocentado por unanimidade pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no exame da Ação Penal (AP) 927, à qual respondia por sua participação em greve de policiais militares na Bahia.




Deixe seu comentário!