Dilma deveria criticar a cristofobia, não a islamofobia, diz Malafaia

O pastor criticou o discurso de Dilma Rousseff na ONU por ter defendido os países muçulmanos


Dilma deveria criticar a cristofobia, não a islamofobia, diz Malafaia

Silas Malafaia acompanhou o discurso que a presidenta Dilma Rousseff fez nesta terça-feira na reunião da ONU. Em sua fala, a presidente afirmou que o Ocidente é islamofóbico e defendeu a criação do Estado da Palestina.



Ao escrever sobre o que foi falado no evento que contou com a participação de grandes líderes políticos do mundo, Malafaia criticou a posição da presidente por ela não ter citado que no Oriente os cristãos sofrem perseguições e enquanto que no Ocidente não há impedimentos em relação à liberdade religiosa.

“Que declaração estúpida da presidente, querendo fazer média com as nações muçulmanas. Por que em qualquer país democrático do ocidente eles são livres para suas práticas religiosas”, disse Malafaia.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Na fala de Dilma Rousseff ela diz lamentar com “repúdio à escalada de preconceito islamofóbico em países ocidentais”. O discurso acontece diante de uma série de manifestações contra um filme anti-islã produzido nos Estados Unidos.



“A presidente Dilma perdeu sim, a oportunidade de falar da Cristofobia, onde nos países muçulmanos como Indonésia, Nigéria, Irã e etc… Pastores e cristãos são presos e assassinados, Igrejas com gente dentro são queimadas, proibição de abertura de igrejas cristãs, e uma verdadeira perseguição religiosa”, protestou o presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

Outro assunto questionado pelo pastor Silas Malafaia é referente ao apoio que o governo brasileiro tem dado para a criação do Estado Palestino. “Israel é o único Estado democraticamente pleno no Oriente Médio. Os que governam os palestinos são grupos terroristas que pregam a eliminação do Estado de Israel, e que praticam atentados contra a soberania deste Estado. Como Israel poderá reconhecê-los?”.



“Os palestinos são de origem árabe, não possuem cultura palestina, possuem uma língua e cultura árabes. Milenarmente aquelas terras pertencem a Israel, creio que haverá paz (tirando aqui a questão escatológica e espiritual) quando eles reconhecerem o Estado de Israel como uma nação soberana”, afirma Malafaia.

Assista o discurso de Dilma:
[globo code=”2156281″]




Deixe seu comentário!