Doação do Brasil para obra na Palestina gera protestos na web

Colunista do Gospel Prime visitou o local e mostra que pode haver irregularidades


Nesta sexta (26) o Diário Oficial da União publicou a Medida Provisória Nº 819, assinada por Rodrigo Maia, que atua como presidente do Brasil enquanto Michel Temer está em viagem.

O texto diz que serão doados R$ 792.000,00 para o Estado da Palestina. O dinheiro deverá ser usado para  a restauração da Basílica da Natividade, na cidade de Belém. Essa verba vem da dotação orçamentária do Ministério das Relações Exteriores.

Conforme amplamente noticiado na imprensa, a restauração tem um custo de US$ 20 milhões e o Brasil é um dos países que decidiram participar do projeto. Esse seria uma ação em conjunto com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que considera a Basílica “Patrimônio Histórico da Humanidade”.

Porém, não há no site do Itamaraty informações sobre como ocorreria a fiscalização do uso dessa verba, uma vez que a Autoridade Palestina está em litígio com os Estados Unidos na ONU justamente por suspeitas de utilizar o dinheiro vindo do exterior para patrocinar atos terroristas. O Hamas, que faz parte da Autoridade Palestina, sendo responsável pela Faixa de Gaza, é considerada uma organização terrorista pela União Europeia, pelos Estados Unidos, pelo Canadá, pelo Japão e por Israel.

O assunto foi bastante debatido nas redes sociais. Muitas pessoas protestaram na web. As postagens e comentários mostram que a maioria dos brasileiros não concordam com a doação de verba pública para o exterior em um momento onde o governo brasileiro fala tanto em crise e contenção de gastos.

O Senado Federal colocou a questão para ser votado no sistema E-Cidadania, que pode ser acessado AQUI

Obras concluídas

O colunista de Gospel Prime Roberto Grobman, que é judeu e vive em Israel, esteve na Basílica nesta sexta e mostrou em um vídeo que as obras já estariam concluídas. Uma placa na entrada do templo dava conta que a restauração teve início em setembro de 2013 e foi concluída em dezembro de 2017.

As informações colhidas por Grobman colocariam esse repasse do Brasil sob suspeita. Em 2010, no governo Lula, o Brasil repassou 10 milhões de dólares à Autoridade Palestina, mas não existe qualquer documento que indique qualquer tipo de averiguação de como essa verba foi usada.

Também chama atenção o anúncio feito esta semana que Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina (AP), comprou um jatinho no valor de U$ 50 milhões para seu uso pessoal. A maior parte da verba – U$ 30 milhões – vem do Fundo Nacional Palestino, que atua como o Ministério das Finanças da AP.

Votação no Congresso

A  medida provisória de Rodrigo Maia tem até 120 dias para ser analisada pelo Congresso Nacional, que pode aprová-la, rejeitá-la ou modificá-la. Caso o Legislativo não votar a MP até este prazo, a medida perde validade. Resta saber qual a motivação para essa doação “fora de tempo” e de que maneiras serão prestadas contas do repasse.

Placa da reforma na Igreja da Natividade mostra que obra já foi concluída

 

Resposta do Itamaraty

O portal Gospel Prime foi contatado pela assessoria de imprensa do Itamaraty, que pediu o direito de resposta. Obedecendo as regras do bom jornalismo, reproduzimos aqui a nota, que está disponível no site oficial da instituição.

Ministério das Relações Exteriores

Assessoria de Imprensa

Nota nº 16

27 de janeiro de 2018

Restauração da Basílica da Natividade

O governo brasileiro aprovou a doação de R$ 792 mil para a restauração da Basílica da Natividade, na cidade de Belém (Palestina). Construída a partir do século IV, para marcar o local do nascimento de Jesus, a basílica é visitada por aproximadamente 3 milhões de peregrinos e turistas anualmente.

Em 2008, o governo palestino e as três denominações cristãs presentes no edifício – greco-ortodoxa, armênia e católica romana – lançaram, em coordenação e sob a supervisão da Unesco, iniciativa de restauração do monumento. O projeto conta com auditoria internacional independente da empresa  Deloitte & Touche.

O governo palestino e seus parceiros internacionais já arrecadaram US$ 10 milhões, cerca de metade dos recursos necessários para a restauração do edifício. Os recursos já permitiram a restauração de elementos como o teto, as janelas e diversas partes das fachadas. Encontra-se em andamento a restauração de 20 das 50 colunas da estrutura, muitas das quais contêm pinturas de motivos religiosos cristãos. As próximas etapas incluirão a restauração do restante das colunas e do mármore e dos mosaicos do piso.

Além do Brasil, participam do projeto Alemanha, Bélgica, Chile, Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Marrocos, Polônia, Rússia, Santa Sé e Turquia, assim como entidades e empresas palestinas e estrangeiras e indivíduos de diversas nacionalidades.




Deixe seu comentário!