EA Sports retira comemorações religiosas de jogo

Após lutador muçulmano reclamar pelo Twitter, o jogo foi editado e as comemorações religiosas banidas.


EA Sports retira comemorações religiosa de jogo

A Electronic Arts, gigante do segmento de jogos eletrônicos, através de seu setor dedicado aos jogos esportivos – EA Sports — licencia games das mais populares ligas esportivas do mundo. FIFA, NBA, Nascar, NFL, NHL…

Desde 2014, o UFC integra o hall das grandes ligas esportivas que possuem um jogo licenciado pela empresa.

E este ano foi lançada a segunda versão do jogo, que era bastante aguardada pelos fãs e trouxe melhoria surpreendente nos gráficos – vídeos do jogo circulam pela Internet e enganam desavisados, tamanha proximidade com uma luta real.

Porém, um lutador do plantel do UFC não ficou assim tão satisfeito com sua caracterização no EA Sports UFC 2.

Muçulmano, o russo Khabib Nurmagomedov ficou incomodado com a forma com que seu personagem comemora as vitórias no jogo, fazendo o sinal da cruz no peito.

“Eu sou muçulmano e não fui batizado. Por favor, EA Sports, edite a minha comemoração pós-luta. Eu tenho muitos fãs muçulmanos e vocês precisam respeitá-los”, escreveu o lutador.

E não tardou para Nurmagomedov, último a derrotar o cristão Rafael dos Anjos (campeão peso-leve do UFC), ter seu pedido atendido. A EA Sports prontamente lhe mandou uma mensagem se desculpando e prometeu consertar o erro, fato consumado com a nova versão lançada na última semana.

“Não tenho nada contra os cristãos. Cada homem tem o seu caminho, e o meu é o Islã. Os produtores cometeram um erro. Sejamos sinceros, todos os humanos cometem erros e não tenho rancor. Pediram-me desculpa e prometeram corrigir.”, disse o russo após receber mensagem da empresa de games.
A animação do jogo que fazia os lutadores comemorarem a vitória desta forma, usando o tradicional sinal da cruz católico, foi removida com o lançamento do novo patch.

Agora não há nenhuma comemoração de caráter religioso no jogo, para nenhum lutador, mesmo que cristão e católico.




Deixe seu comentário!