EI ameaça Trump: Vamos derramar seu sangue no monte do Templo

Terroristas prometem retaliação por decisão sobre Jerusalém


Estado Islâmico x Trump e Netanyahu
Estado Islâmico x Trump e Netanyahu

O Estado Islâmico (EI) não existe mais como califado no Oriente Médio, mas continua sendo um grupo terrorista com milhares de simpatizantes em todo o mundo.

Agora eles estão ameaçando judeus e cristãos. Uma imagem divulgada hoje pelo Inteligence SITE, que monitora atividade terrorista, mostra um jihadista em frente à mesquita de Omar, localizada no monte do Templo em Jerusalém.

O texto que a acompanha diz: “Ó judeus e adoradores da cruz: nós juramos quebrar seus pescoços e derramar seu sangue em Al Aksa [outra mesquita no monte do Templo] e por todo lugar. Essa é a promessa de Allah e vamos fazer ela se cumprir. Cuidado, nossa vinda será a mais terrível e amarga”.

Os terroristas prometeram novos ataques em solo americano como retaliação pela decisão do presidente Trump de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. O EI está divulgando diferentes ameaças pelas mídias sociais.

Uma delas mostra um soldado armado diante do Capitólio – local onde se reúne o Congresso dos Estados Unidos, em Washington – sendo explodido.

Terrorista no Capitólio
Terrorista no Capitólio

Outra diz “Aguarde-nos” e “ISIS em Manhattan”, acompanhadas de imagens da Times Square, em Nova York, e de um homem com um colete de bomba e um detonador na mão.

“Faremos mais operações em sua terra, até a hora final. Nós os queimaremos com as chamas da guerra que vocês começaram no Iraque, Iêmen, Líbia e Síria e no Afeganistão. Vocês não perdem por esperar”, disse outra mensagem.

“O reconhecimento de seu cão Trump de Jerusalém como a capital de Israel fará com que vocês reconheçam os explosivos como a capital do seu país”, ameaça outra postagem.

Washington disse que está atenta e preparada para evitar novos ataques. Esta semana, Akayed Ullah, um imigrante islâmico que mora nos EUA acabou seriamente ferido ao tentar explodir uma bomba caseira num movimentado terminal de ônibus, perto da Times Square.

Após ser preso, além de afirmar ser simpatizante do Estado Islâmico ele disse que sua motivação é o apoio dos americanos a Israel que desencadearam novos confrontos na Faixa de Gaza. Com informações Ynet News e The Sun




Deixe seu comentário!