MENU

“Eles não querem paz”, afirma embaixador de Israel sobre árabes

Youssi Shelley diz que é preciso negociar a paz "quando chega o momento"


Yossi Shelley
Yossi Shelley. (Foto: Folhapress)

O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, falou sobre os motivos que alimentam a guerra em Israel. Além disso, explicou sobre algumas medidas que o governo israelense costuma tomar para manter a paz.

O conflito histórico entre Israel e as nações árabes já é bem antigo. Depois de tantos desacordos e guerras, passando pela perseguição aos judeus, o embaixador conta que Israel surgiu das cinzas.

Neste ano, o novo Estado completou 70 anos existência. “Agradecemos a Oswaldo Aranha por essa decisão definitiva”, agradece Youssi Shelley ao se referir ao diplomata brasileiro que foi considerado fundamental para a decisão da ONU, na criação do Estado judeu, em 1948.

Leia mais

Relacionamento de Israel com as nações

Em entrevista ao programa Mente Aberta, da Rede Super, o diplomata foi questionado sobre a relação de Israel com os países árabes. O embaixador explicou que “eles não querem paz”. E usou como exemplo a dança do tango: “Quando você quer bailar, é preciso ter duas pessoas. Com uma, não tem dança”, brincou.

“Quando tive um acordo de paz com o Egito, Anwar Al Sadat (…) pediu para retirar 150 mil (israelenses que ocupavam o país)”, explica o embaixador. Ele conta que, com muito choro e muita dor, teve que retirar as pessoas do Egito, que já moravam ali há 30 anos.

Segundo ele, as pessoas tiveram que deixar suas casas e tudo o que construíram ali durante uma vida. Ele justifica que quando “chega o momento” é preciso fazer a paz. “Uma paz duradoura”, como ele enfatizou e não uma paz de apenas dois ou três anos.

Planejando a paz

Depois ele lembrou sobre a Primavera Árabe. “Quebrou todos os Estados”, afirmou. O embaixador se referiu à falta de planejamento nas negociações de paz. Depois disso, também comentou sobre o relacionamento entre Brasil e Israel, enfatizando que sempre foi muito bom.

“Os judeus ajudaram a fundar o Brasil. Nós somos parceiros de vocês (brasileiros). Se fizer um teste de DNA vocês verão que são 50% judeus”, concluiu com otimismo.

Assista!



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!