Embaixada de Israel no Brasil celebra 70 anos da independência

Embaixador Yossi Shelley agradeceu a Oswaldo Aranha e a todos os brasileiros


Yossi Shelley
Yossi Shelley. (Foto: Elisa Robson / Gospel Prime)

Três anos depois do Holocausto nazista, com apenas 800 mil judeus, surgiu Israel. E hoje, 19 de abril, os israelenses comemoram 70 anos da independência do seu Estado. O Dia da Independência, ou Yom Haatzmaut, em hebraico, é a data nacional – não religiosa – mais importante do país. Os festejos começaram ontem com a tradicional cerimônia do Dia da Independência no Monte Herzl, em Jerusalém.

Na embaixada de Israel em Brasília, houve espetáculos de dança e música e a presença de autoridades como os deputados Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e Roberto de Lucena (Pode-SP), os senadores Magno Malta (PR-ES) e Ana Amélia (PP-RS), vários prefeitos, além de autoridades judaicas e militares. Aloysio Nunes, ministro das Relações Exteriores do Brasil, não esteve presente.

O embaixador Yossi Shelley fez também o tradicional agradecimento a Oswaldo Aranha. “Somos muito gratos a ele e a todos os brasileiros”, disse. O diplomata gaúcho presidiu, em 1947, uma sessão especial da Assembleia-Geral da ONU e apoiou a partição da Palestina britânica, evento que levou à criação do Estado de Israel, em 1948. A resolução também previa um Estado árabe, ainda inexistente.

Oswaldo Aranha é considerado fundamental para a decisão da ONU por ter feito lobby por um voto positivo. Ele foi nomeado ao Nobel da Paz.

Na sequência em seu discurso, Shelley citou a profecia bíblica de Gênesis 12.3: “E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem”. Ele ainda falou sobre as inovações tecnológicas de Israel, como a capacidade de construir e lançar satélites no espaço e a liderança na reciclagem de água.

Parlamentares

O senador Magno Malta fez duras críticas às relações internacionais do governo brasileiro até aqui. “Durante os últimos 14 anos, os esquerdopatas que governaram o país ficaram amigos de todos os inimigos de Israel. O Brasil ama Israel e a resposta que nós vamos dar é em janeiro de 2019, quando a nossa embaixada sai de Tel Aviv e vai para Jerusalém. Porque nós vamos reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.”

O deputado Jair Bolsonaro falou da importância de estreitarmos as relações com as civilizações orientais. “Nós apoiamos Israel porque é um Estado que zela pela democracia do seu povo e é um exemplo para o mundo, especialmente para o Brasil”.

Parlamentares no evento da Embaixada de Israel.
Parlamentares no evento da Embaixada de Israel. (Foto: Elisa Robson / Gospel Prime)

Comunidade Brasil-Israel

A Comunidade Internacional Brasil & Israel, representada por sua presidente, Jane Silva, esteve presente e parabenizou o Estado de Israel. Há mais de vinte anos, a Comunidade defende Israel em todas as plataformas, sejam elas públicas ou privadas.

“Desde a sua criação, o Estado de Israel tem acolhido judeus do mundo inteiro, de diversas culturas, com línguas e costumes diferentes, mas todos com uma só vontade: a de construir um Estado livre e independente aonde possam finalmente viver em paz. A primeira parte foi conseguida. A segunda, ainda está elusiva. Mas as vitórias que a Comunidade Internacional Brasil & Israel teve ao longo dos anos, mudando o conceito de pessoas influentes, de formadores de opinião e do público em geral, nos dão muita esperança que a verdade irá prevalecer e Israel será então finalmente reconhecida por seus inimigos como a Terra Prometida do Povo Judeu”, disse Jane.

A Comunidade está organizando a entrega da “Medalha Israel 70 anos, eu estava lá”, a ser concedida no dia 19 de novembro de 2018, em Jerusalém, Israel. A cerimônia contará com a presença de personalidades brasileiras que estarão em Israel entre os dias 11 a 21 de novembro de 2018.

O programa de viajem incluirá entre outros a visita ao Parlamento de Israel, a plantação de uma árvore pela paz do Brasil, de Israel e do mundo, encontros com representantes seniores do governo israelense.





Deixe seu comentário!