Assassinato de embaixador da Rússia estaria ligado ao Estado Islâmico

Motivação do crime seria religiosa. Vídeo revela gritos de “Allahu Akbar”


Assassinato de embaixador da Rússia estaria ligado ao EI

Apesar de a imprensa mundial evitar mencionar o fato, o assassino do Embaixador da Rússia na Turquia é muçulmano e suas motivações são religiosas. No vídeo divulgado no início desta tarde, o homem identificado como Mevlut Mert Altıntas aparece baleando o diplomata Andrei Karlov, em uma galeria de arte na capital Ancara.

Altintas seria um policial de 22 anos que visava mandar uma mensagem. O site Russia Today publicou o vídeo do atentado, onde o atirador faz um breve discurso, justificando seus atos.



“Nós morremos em Aleppo, vocês morrem aqui. Não se esqueça de Aleppo! Não se esqueça da Síria!”, gritou ele. Em seguida, avisou “Vocês [russos] não vão ficar seguros. Só a morte pode me tirar daqui. Quem tem um papel nesta crueldade vai pagar por isso, um por um”.

Após dizer algumas palavras em russo, repetiu várias vezes “Allahu Akbar”, expressão islâmica que significa “Alá é grande”, o que indica que o homem é muçulmano.



Uma breve análise das palavras ditas por ele remetem à situação na Síria. Após as forças russas terem entrado na guerra, os militantes do Estado Islâmico vinham perdendo território e um de seus últimos domínios é Aleppo, perto da fronteira com o Iraque.

Ao dizer “nós morremos”, o policial identifica-se com os jihadistas que pereceram no conflito que já dura mais de um mês. No conflito atual na Síria e no Iraque, Rússia e Turquia estão de lados opostos.

Oficialmente, a Turquia está alinhada com os Estados Unidos e forças europeias, que lutam em favor de grupos rebeldes sunitas contra o presidente Bashar Al Assad. A Rússia, junto com o Irã e outros países árabes apoiam o atual governo sírio.

Embora algumas informações sejam desencontradas, o ministério das Relações Exteriores da Rússia confirmou a morte do Embaixador Karlov, que chegou a ser levado a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

A imprensa turca diz que Altintas teria sido “neutralizado” por forças de segurança. Ele teria morrido numa troca de tiros cerca de 15 minutos após o crime em uma galeria de arte local, onde seria inaugurada uma exposição sobre como a Rússia é vista por artistas turcos.

Países em tensão

O prefeito de Ancara, Melih Gokçek, minimizou, afirmando que o assassinato de Karlov foi uma tentativa ‘estragar as relações’ entre a Rússia e a Turquia. O governo russo reforçou a segurança em sua embaixada e declarou que levará a questão ao Conselho de segurança da ONU. A Turquia é parte da OTAN, que já foi ameaçada de guerra pela Rússia por conta do conflito na Ucrânia.

As relações entre os dois países estão abaladas desde o ano passado, quando os turcos derrubaram um avião militar russo perto da fronteira com a Síria. A Turquia alega invasão de seu espaço aéreo e alertou que derrubaria os aviões que entrassem sem autorização no seu território.

Especialistas lembram que o fato que deflagrou a Primeira Guerra foi o assassinato de Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco em junho de 1914. O arquiduque e sua esposa foram mortos a tiros em Sarajevo, capital da Bósnia. O assassino foi um estudante nacionalista sérvio. A Áustria, aliada da Alemanha, declarou guerra à Sérvia, então aliada da Rússia, e o conflito que dominou a Europa até 1918.

Caso não seja bem conduzido, o assassinato do embaixador pode ser o estopim para uma nova guerra de proporções mundiais.




Deixe seu comentário!