MENU

Escola cristã será fechada pelo Canadá por condenar a homossexualidade

Versículos bíblicos “ofensivos” foram colocados no manual do aluno


Cornerstone Christian Academy
Cornerstone Christian Academy em Alberta, Canadá. (Foto: Twitter / CCA_Kingman)

Na cidade de Kingman, no Canadá, o conselho escolar do município votou por unanimidade pelo fechamento de uma escola cristã. O motivo seria a presença de textos bíblicos no manual do aluno que condenavam a prática homossexual.

A Divisão Escolar decidiu encerrar a parceria com a Academia Cristã Cornerstone. Com isso, no final deste ano será encerrado o repasse de verbas públicas que permitiam o funcionamento da escola.

Por sua vez, a escola está buscando uma liminar judicial contra o fechamento da escola. A audiência final ocorre em 19 de maio. Seguindo o sistema canadense, a Cornerstone é proprietária do prédio, mas os professores são funcionários da Divisão Escolar, sendo pagos pelo governo.

Leia mais

As relações entre a escola cristã e o conselho escolar ficaram estremecidas no ano passado, quando ela foi proibida de publicar certos textos das Escrituras no manual entregue a cada aluno. Também foi impedida de usar em sala de aula “qualquer texto que pudesse ser ofensivo a indivíduos”, alegando que contraria a legislação de direitos humanos.

Os textos que causaram controvérsia eram sobre versículos bíblicos que alertavam contra as práticas que os cristãos consideram pecaminosas: adultério, fornicação, homossexualidade, lascívia, idolatria, bruxaria, ódio, ira, contendas, sedições e heresias.

Além de exigir que a Cornerstone removesse as passagens bíblicas “ofensivas” do manual dos estudantes, a Divisão Escolar disse que não poderiam ser exibidas em nenhum lugar da escola.

Na época, o Centro de Justiça para Liberdades Constitucionais (CJLC), que defende juridicamente a escola, alegou que essa tentativa de censura contrariava o acordo com o governo e que isso “mudaria a natureza essencial do programa da Academia Cristã Cornerstone”.

“Os pais têm o direito de educar seus filhos como bem entenderem, e os pais têm o direito de se unirem a instituições religiosas e instituições educacionais religiosas”, disse o CJLC.

A presidente da Sociedade Cornerstone, Deanna Margel, lamentou a tentativa do governo em censurar as Escrituras cristãs. “O que está acontecendo na escola é uma boa oportunidade para as pessoas discutirem suas ideias diferentes e debaterem sobre como lidamos com essas coisas. Qualquer pessoa familiarizada com a Bíblia reconhecerá que há muitas passagens da Escritura que podem ser consideradas ofensivas até mesmo para aqueles que seguem a Cristo”.

Atualmente, 170 alunos estudam na Cornestone. Caso perca na justiça, a opção serie continuar funcionando como uma escola particular, mas isso deve encarecer em muito as mensalidades. Com informações Life Site News



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!