Estado Islâmico executa quatro cristãos no Paquistão

Grupo terrorista diz que tem “unidade” para o assassinato de cristãos, considerados “infiéis”


Estado Islâmico executa quatro cristãos no Paquistão

O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria da execução de quatro pessoas da mesma família na região sudoeste do Paquistão nesta segunda-feira (02). A polícia confirmou que eles foram mortos a tiros no meia da rua.

O atentado ocorreu em um bairro de maioria cristã na cidade de Quetta, capital da província do Baluchistão. Eles estavam em um riquixá, meio de transporte comum no país. Os assassinos se aproximaram em uma motocicletas e abriram fogo.

“Três membros de uma família, incluindo uma mulher, foram mortos quando o riquixá foi atacado. O motorista, que também era cristão, está entre os mortos”, admitiu Moazzam Jah Ansari, chefe de polícia da província. Uma menina, filha de um dos mortos, que estava junto, ficou ferida, mas sobreviveu.

“Investigações iniciais sugerem que as pessoas foram mortas por causa de sua religião”, revelou Ansari, que completou: “Foi um ato de terrorismo”.  Atentados são relativamente comuns na província de Baluchistão, dominada por facções talibãs e grupos terroristas.

Uma declaração do Estado Islâmico que está operando com células no Afeganistão e no Paquistão assumiu a responsabilidade pelo ataque. O comunicado , divulgado nesta terça-feira (3) disse que sua ‘unidade secreta’ de jihadistas “conseguiu atingir vários cristãos”. Acrescentou que a morte de quatro deles se deve a Allah, que merece todos os méritos.

A Associação Cristã Paquistanesa e Britânica, que monitora e dá apoio às vítimas de violência e perseguição no país de maioria muçulmana, disse que o governo paquistanês foi alertado sobre o aumento das atividades do Estado Islâmico, mas não tomou providência”, disse Wilson Chowdhry, presidente da organização.

“Os cristãos enfrentam um momento difícil no Paquistão, onde suas vidas estão sob constante ameaça de grupos terroristas extremistas”, explica Chowdhry. Ele lamentou que as nações ocidentais “ignoram” o sofrimento da população cristã que é minoria no país, muitas vezes sendo alvo de leis de blasfêmia.

A comunidade cristã do Paquistão, com menos de 4 milhões de pessoas no país de 200 milhões de habitantes, tem sofrido com um aumento de atentados violentos nos últimos meses. Em dezembro do ano passado, um ataque suicida de dois homens-bomba contra uma igreja evangélica em Quetta matou 10 pessoas e feriu outras 44, poucos dias antes do NatalCom informações de Christian Today




Deixe seu comentário!