MENU

Estado Islâmico tenta implantar células terroristas na América Latina

Chancelaria russa denuncia tentativas de criar campos de treinamento jihadista na região


Estado Islâmico
Estado Islâmico

O Estado Islâmico tem se espalhado pelo mundo em células que tem como objetivo promover o terrorismo. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia agora está alertando para as tentativas de criação de campos de treinamento jihadistas na América Latina.

Segundo Dmitry Feoktistov, vice-diretor do Departamento de Novos Desafios e Ameaças da chancelaria russa, há fortes indícios de que a atividade do grupo extremista está crescendo na região.

Leia mais

“Há a ameaça de surgirem campos de treinamento jihadistas e bases de recreação nos países da América Latina e do Caribe. Eles seriam consequência dos laços estabelecidos entre terroristas, grupos criminosos e narcotraficantes locais”, afirmou, sem citar detalhes sobre quais países se referia.

Moscou vem expressando preocupações quanto à “intensificação da propaganda de recrutamento dos extremistas, especialmente nos países do Caribe, onde há muitos cidadãos muçulmanos”, assegurou Feoktistov durante a 18ª sessão do Comitê Interamericano contra o Terrorismo, realizada em Washington.

O diplomata russo indica que os recrutamentos pelo Estado Islâmico na América Latina por enquanto são raros, mas que há riscos de ele se beneficiar das redes de outros grupos terroristas que agem na região.

Durante o evento, Feoktistov afirmou que “Vários países latinos expressam interesse em se unir a um banco de dados comum sobre terrorismo, particularmente Argentina e Brasil. Estamos discutindo modalidades concretas de sua adesão ao projeto para reunir uma enorme quantidade de informações sobre terroristas”.

Hezbollah possui laços com o PCC

Apesar do silêncio da grande mídia sobre ao assunto, na região fronteiriça que separa Brasil, Argentina e Paraguai, nas cercanias de Foz do Iguaçu (PR), a atuação de grupos ligados ao terrorismo internacional já foi denunciada repetidas vezes pelas autoridades norte-americanas.

A associação de membros do grupo terrorista libanês Hezbollah com o Primeiro Comando da Capital (PCC) se desenvolveu a partir de 2006. Somente dois anos depois as provas disso apareceram, após uma operação realizada pela Polícia Federal que reuniu os primeiros indícios dessa ligação.

Conforme indicavam as autoridades americanas, o dinheiro da droga é uma das fontes de financiamento de grupos terroristas. A PF encontrou indícios que membros desse grupo libanês que lidavam com o tráfico abriram canais para o contrabando de armas destinadas à organização criminosa brasileira.

O governo brasileiro sempre evitou admitir que não possui qualquer controle sobre o que acontece do lado de cá da Tríplice Fronteira. Somente em 2014 os serviços de inteligência do país reuniram indícios concretos que traficantes de origem libanesa ligados ao Hezbollah se ligaram ao PCC, maior organização criminosa do país.

Reconhecimento do Hezbollah como grupo terrorista

Durante a reunião do Comitê Interamericano contra o Terrorismo, Robert Singer, vice-presidente do Congresso Judaico Mundial pediu que os países da Organização dos Estados Americanos, da qual o Brasil faz parte, reconheça oficialmente o Hezbollah como grupo terrorista.

“O Hezbollah não é apenas um perigo para o Líbano, Israel e a Europa, mas uma ameaça à segurança de todos nós. Terroristas não visam apenas minorias específicas, mas atacam nossa sociedade como um todo – judeus, cristãos e até muçulmanos”, afirmou Singer.

“É extremamente importante que o Comitê Interamericano Contra o terrorismo, assim como a OEA e seus Estados membros formalmente reconheçam o Hezbollah como uma organização terrorista para dar à lei internacional as ferramentas necessárias para rastrear o sistema financeiro e a captação de recursos do Hezbollah na região, seu sistema de recrutamento e suas outras atividades globais”, insistiu.

Até o momento o Brasil não se pronunciou sobre as colocações relativas à região fronteiriça durante o evento em Washington. Com informações de Sputinik, Hispan TV e World Jewish Congress



Assuntos: ,


Deixe seu comentário!


Mais notícias