Feliciano denuncia professores de esquerda: “hipócritas que aterrorizam alunos”

Deputado disse que postura é inaceitável e reforçou apoio ao Escola Sem Partido


Feliciano denuncia professores de esquerda que “aterrorizam alunos”

Como faz costumeiramente, o deputado federal Marco Feliciano (Pode/SP) produziu um vídeo para denunciar a doutrinação das crianças no país. Ele comentou o caso ocorrido na Escola Estadual de Ensino Médio Otávio de Farias, em Fortaleza.

Ao longo desta sexta-feira (13) viralizou nas redes sociais uma gravação mostrando um professor de História humilhando e, posteriormente, expulsando da sala um aluno evangélico que seria apoiador do pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). Segundo foi divulgado pela imprensa cearense, o professor é militante do PSOL.

Em meio ao debate com o aluno, ele afirmou: “Eu estou falando a verdade. Quem tá mentindo pra você é o policial imbecil ou o pastorzinho vagabundo da sua igreja”.

Feliciano lamentou a “inclinação preconceituosa” evidenciada na atitude do professor de Fortaleza. Usou a situação, que ganhou espaço em vários jornais do país, para destacar: “Ele atacou as instituições que os esquerdistas odeiam, a polícia e a igreja”.

Conforma lembrou o deputado: “Dentro da sala de aula, um professor não é pago para ensinar o que pensa. Seu direito de cátedra e a honestidade deveriam torná-lo isento nos assuntos políticos”.

O parlamentar do Podemos reiterou que considera esse tipo de educadores “hipócritas”, pois nas aulas ministradas, “certamente martelaram na mente dos aluno não à tolerância, mas o professor é intolerante; não ao preconceito, mas o professor é preconceituoso”.

Em tom de desabafo, Feliciano lembrou aos seus seguidores que ele apoia o “Escola Sem Partido” e que tem lutado para “desmontar essa imensa rede de professores doutrinados no marxismo-leninismo, que visam destruir nossas bases cristãs e familiares”.

O político paulista anunciou que encaminhou um pedido à mesa diretora da Câmara dos Deputados para que encaminhe ao Ministério Público do Ceará um pedido de instauração de inquérito para uma apuração rigorosa dos fatos ocorridos na escola e mostrado nos vídeos.

Finalizou dizendo que “nossa bandeira nunca será vermelha” e com o seu slogan “a nossa família merece respeito”.




Deixe seu comentário!