MENU

Feliciano diz que governo recuou em patrocínio de “enfrentamento” contra evangélicos

Deputado Marco Feliciano procurou o Planalto e acredita que publicação foi "um erro".


Marco Feliciano
Marco Feliciano

Repercutiu mal junto a bancada evangélica um “termo de fomento” publicado no Diário Oficial desta sexta (13), dando conta que o governo Temer patrocinaria a realização de um seminário “com lideranças de diferentes religiões do Brasil para debater a atuação da bancada religiosa conservadora no Congresso Nacional e elaboração de estratégias conjuntas de enfrentamento à esta atuação”.

O deputado Marco Feliciano (Pode/SP) tomou a iniciativa de cobrar explicações do governo. Ao Gospel Prime, ele afirmou: “entrei em contato com o ministro Carlos Marun, que respondeu não ter conhecimento. Fiz o mesmo com o ministro Ronaldo Fonseca, que também disse não ter conhecimento do assunto”.

Leia mais

O parlamentar paulista disse ainda crer que “toda a máquina do governo ainda está aparelhada por petistas de carteirinha, especialistas em infiltrar esses jabutis em atos de governo”. Ressaltou ter certeza que, “ao ser informado desse ato, o Presidente Michel Temer determinará sua correção imediata”.

De fato, pouco tempo depois, o ministro da Secretária-geral da Presidência da República, Ronaldo Fonseca, que é pastor da Assembleia de Deus, comunicou que a liberação do dinheiro para realizar um seminário contra “as bancadas religiosas” no Congresso, “foi um erro cometido por uma secretária exonerada”.

O governo estaria agindo para cancelar oficialmente esse fomento de 100 mil reais em nome da ONG “Católicas pelo Direito de Decidir” que, apesar do nome, não tem ligação com a Igreja Católica. Durante o governo de Dilma Rousseff, foram feitos quatro repasses do governo federal, num total de R$ 171.205,00.



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!