MENU

Filme mostra igreja pelos olhos de um incrédulo

“Pequeno Grupo” aposta no humor para retratar vida cristã cotidiana


Small Group
Cena de Small Group. (Foto: Reprodução / Vimeo)

Os chamados “filmes de fé” eram um gênero menosprezado em Hollywood por serem vistos como panfletários. As produções de baixo orçamento atraiam pouco o grande público, acostumado com os efeitos de última geração e grandes nomes do cinema nos papéis principais.

Isso começou a mudar em 2004, com o sucesso de “A Paixão de Cristo”, a superprodução dirigida por Mel Gibson, que arrecadou centenas de milhões de dólares nas bilheterias. Na última década, longas independentes como os da trilogia “Deus Não Está Morto” atraiam o mesmo tipo de espectador que assistia “O Céu é de Verdade”, realizado por um grande estúdio.

Leia mais

O longa “Small Group” [Pequeno Grupo], lançado este mês nos Estados Unidos, tenta inaugurar um novo estilo, visando ser um “filme de fé para incrédulos”. Mesclando a dinâmica de documentário com pitadas de comédia, conta a história de um repórter que tenta “expor” a hipocrisia dos cristãos.

O personagem principal R. Scott Cooper (Sterling Hurst, da série Nashville) é um repórter investigativo descrente que se “infiltra” em uma igreja evangélica no sul dos Estados Unidos, com o objetivo de produzir um documentário sobre os “males” da influência evangélica. Acaba participando de um pequeno grupo, ou célula. Ele filma tudo secretamente, incluindo um retiro de homens e uma viagem missionária de curto prazo para a Guatemala.

Quando seu projeto é descoberto, ele precisa lidar com a reação dos membros da igreja e acaba revendo seus conceitos sobre fé e a vida eclesiástica comunitária. Em diferentes cenas ele demonstra a visão preconceituosa que muitos têm e acaba confrontado com a realidade que os evangélicos são pessoas “normais”.

Experiência real

Matt Chastain, que dirige a produção, achou que seria interessante mostrar um pouco da “cultura da igreja” através dos olhos de um cético. Ele decidiu escrever o roteiro a partir de sua própria experiência em um pequeno grupo na igreja batista que sua família frequenta.

“Tudo que vivi nele foi muito mais real, genuíno e interativo do que outras experiências da igreja que tive. Em certo momento eu percebi que essa é uma história que precisa ser contada! Alguém deveria fazer um filme chamado ‘Pequeno Grupo’!”, contou ele ao Christian Post.

O diretor explica que, a exemplo de muitos outros filmes de fé, igrejas inteiras lotaram sala de cinema para ver a sua produção. “Conversamos com o público e vimos que as pessoas saem da exibição dizendo que riram e choraram e seu pequeno grupo teria novo ânimo… Queremos mostrar que pessoas com perspectivas bem diferentes da vida podem aprender muito umas com as outras, demonstrar a graça mutuamente… O mundo precisa desesperadamente de mais disso, na minha opinião”, comemora.

Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Assista o trailer (em inglês):



Assuntos:


Deixe sua opinião!