França intensifica expulsão de líderes religiosos muçulmanos do país

Nos últimos seis meses dez líderes islâmicos foram deportados do país


França intensifica expulsão de líderes muçulmanos do país

Com medo de novos ataques a França tem expulsado líderes muçulmanos do país, nos últimos seis meses foram dez expulsões e nos últimos três anos foram 40 deportações, segundo declarações do ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve.

As autoridades investigam mesquitas que teriam associação com grupos terroristas, após essa etapa os líderes que pregam incitando o ódio são deportados. “Qualquer pregador do ódio estrangeiro será deportado”, disse o ministro.

A pregação religiosa em favor do jihadismo é a principal preocupação da França, principalmente depois dos ataques à sede da revista Charlie Hebdo em janeiro deste ano.

Mas as mesquitas são investigadas desde 2012, de acordo com informações de Cazeneuve, e todos os imãs deportados são estrangeiros. “Deportamos 40 pregadores do ódio desde 2012 e desde o início do ano, examinamos 22 casos e expulsamos 10 imãs e pregadores do ódio”.

A França tem 2.500 mesquitas e 5 milhões de muçulmanos, as ações estão se intensificando para conter o número de radicalização que tem feito com que centenas de cidadãos franceses se unam ao Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Com informações RFI




Deixe seu comentário!