Governador cristão é condenado a 2 anos de prisão por “blasfêmia”

Ele foi indiciado em 2016, acusado de ofender o Islã durante sua campanha de reeleição.


Governador cristão é condenado a 2 anos de prisão por "blasfêmia"

O governador em final de mandato de Jacarta, o cristão Basuki Tjahaja Purnama, foi sentenciado nesta terça-feira (9) a dois anos de prisão pelo crime de blasfêmia, após um longo processo que colocou em questionamento a tolerância religiosa no mais populoso país muçulmano do planeta, a Indonésia.

Dwiarso Budi Santiarto, juiz que comandou o processo, relatou ao tribunal que o governador é “culpado de blasfêmia” e o puniu com “dois anos de prisão”, com prisão imediata. O político cristão, mais conhecido como Ahok, disse que irá recorrer da decisão.

Partidários de uma linha mais rigorosa do Islã, diante do julgamento, celebraram a condenação aos gritos de “Alá é grande”.


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


Ahok, foi o primeiro governador não muçulmano da cidade em meio século e o primeiro vindo de minoria chinesa. Ele foi indiciado em 2016, acusado de ofender o Islã durante sua campanha de reeleição.

Conhecido por sua sinceridade, Purnama considerou em setembro como falha a interpretação de alguns ulemás (teólogo ou sábio e versado em leis e religião, entre os muçulmanos) de um versículo do Alcorão que afirma que um muçulmano só pode eleger um líder de sua religião.

A Indonésia possui uma população 90% islâmica, e as afirmações do governador resultaram em uma onda de protestos.

Mesmo atuando contra a corrupção e promovendo reformas na caótica cidade de Jacarta, o processo reduziu drasticamente a popularidade do líder cristão. Mês passado acabou perdendo as eleições para o muçulmano Anies Baswedan, ex-ministro da Educação. Com informações do G1




Deixe seu comentário!