MENU

Grupos terroristas de Gaza bombardeiam Israel

Dezenas de morteiros e foguetes lançados pelo Hamas nas últimas horas


Foguetes de Gaza contra Israel
Foguetes de Gaza contra Israel. (Foto: AFP)

A fronteira entre Gaza e Israel está vivenciando desde a ontem (13) a maior tensão desde a guerra de 2014. Nas últimas horas, mais de 100 foguetes e morteiros foram lançados pelo Hamas em direção a Israel, principalmente na região do Negev, ao sul.

Nas manifestações da “Marcha de Retorno”, na sexta, junto à cerca que divide o território palestino de Israel, duas pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas. À medida que os terroristas do Hamas e grupos aliados aumentaram o bombardeio, Israel passou a responder proporcionalmente.

Leia mais

Sirenes de alarme soaram em várias cidades da região enquanto o sistema de defesa israelense Iron Dome [Cúpula de Ferro], era ativado e conseguiu interceptar a maioria dos foguetes.

Ataque de Israel à Gaza
Foto tirada em 14 de julho de 2018 mostra uma nuvem de fumaça subindo após um ataque aéreo israelense em Gaza. (Foto: AFP)

De acordo com um porta-voz militar de Israel, a Força Aérea usou aviões para atingir um túnel ao sul de Gaza e neutralizar “objetivos terroristas”. Pelo menos 40 alvos militares do Hamas foram atingidos nas últimas 24 horas, no mais extenso ataque entre palestinos e israelenses desde a Guerra de 2014.

Três israelenses ficaram gravemente feridos quando um foguete atingiu uma casa em Sderot, enquanto do lado palestino, dois adolescentes foram mortos e 14 ficaram feridos.

O aumento da violência intensificou-se após a meia-noite de sábado, quando as Forças de Defesa de Israel atingiram bases de treinamento do Hamas em Gaza em resposta aos ataques contra seus soldados na sexta-feira.

Durante a noite, os palestinos intensificaram os disparos, com o lançamento contínuo de foguetes e morteiros. Moradores de comunidades fronteiriças de Israel passaram a noite em abrigos antiaéreos e foram alertados para permanecer perto dos abrigos durante o dia.

Há o temor que, caso os grupos terroristas não parem os ataques, haja o escalonamento para uma nova guerra, o que colocaria em risco todo o plano de paz para a região, que vem sendo costurado pelos Estados Unidos. Com informações de Times of Israel



Assuntos: , , ,


Deixe seu comentário!


Mais notícias