MENU

Hinário: a relíquia dos adoradores do passado

Christopher N. Phillips fala sobre a importância dos hinos na formação cristã


Hinários
Hinários. (Foto: Divulgação)

A história que será contada aqui é de Christopher N. Phillips. Ele toma seus leitores pelas mãos e os leva a conhecer as primeiras práticas de leitura e os detalhes da vida religiosa dos séculos XVIII e XIX.

Seu livro The Hymnal: A Reading History (O Hinário: Uma História da Leitura, tradução livre) ilustra que os cristãos também são formados pelos hinos e músicas que cantam. Segundo o autor, além da Bíblia, as pessoas também eram formadas teologicamente pelos hinários.

Leia mais

Do ponto de vista moderno, talvez as pessoas considerem esses pequenos livros como acessórios desatualizados de um culto de adoração. “Mas os hinários serviram (e ainda podem servir) para um propósito maior”, segundo a opinião do autor.

Ele conta que os hinários eram usados para ensinar as crianças a ler. Além disso, eram também uma estratégia de unir o povo de Deus. “Hinos de adoração alimentam a personalidade corporativa”, ele explica. Hinários estavam em todo lugar, não só na igreja, mas nas escolas e nos lares.

O que perdemos com a exclusão dos hinários?

Poeticamente, ele escreveu que, não só os hinários, mas os livros de forma geral moldam as pessoas quando lidos de maneira especial. “Não somos formados apenas pelo conteúdo que lemos, mas pela forma como lemos e também com quem lemos”, disse Phillips.

O período narrado pelo autor é um contraste com os dias atuais. Ele compara a facilidade de segurar um hinário nas mãos, em 1820, com as mãos do século XXI, que digitam rapidamente e fazem com que as pessoas fiquem curvadas na frente de suas telinhas.

Ele ainda questiona: “Enquanto estamos na igreja lendo a letra de uma música numa tela, domingo de manhã, o que perdemos?”. Segundo Phillips, perdemos muitas coisas, como a capacidade de formar grupos e nos reunir nas casas para cantar, como fazia o povo de Deus no passado.

Para finalizar, ele enfatiza que o hinário conta uma história importante e que merece atenção.

“A história do hinário foi escrita por cristãos sinceros e famílias de várias etnias, classes econômicas e denominações”, lembra. O autor espera que essa história ajude os cristãos desse século a recuperar a necessidade da formação espiritual, como família de Deus, de toda tribo, língua e nação. Com informações Christianity Today



Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!