Igreja Católica não incentiva leitura bíblica para não perder fiéis, diz Malafaia

Pastor respondeu críticas do padre Reginaldo Manzotti sobre a teologia da prosperidade pregada em muitas igrejas evangélicas


Igreja Católica não incentiva leitura bíblica para não perder fiéis

O pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), ficou irritado com a entrevista do padre Reginaldo Manzotti, dada a VEJA neste último final de semana.

O cantor e escritor católico ironizou o crescimento dos evangélicos pentecostais nas últimas três décadas: “A filosofia do ‘me dê um Fusca que eu te devolvo uma Mercedes’ soa bem, embora seja uma balela”.



Em entrevista concedida ao site da VEJA, Malafaia não poupou críticas a fala de Manzotti, sobre como o discurso evangélico tem prosperado em classes menos favorecidas: “Em situações onde faltam saúde, moradia e alimento, qualquer teologia da prosperidade que prometa cura e riqueza em troca de doações funciona”, declarou o padre.

O pastor afirmou que Manzotti possui uma visão preconceituosa. “Para ele, pobre é burro, idiota e sempre enganado. Mas a história mostra que quem explorou os pobres durante séculos não fomos nós, evangélicos, não”, replicou Malafaia.

O presidente da ADVEC observou que a igreja evangélica tem crescido em todas as classes sociais e lembra do bairro de classe média alta onde reside no Rio de Janeiro. Em vinte anos, o número de igrejas evangélicas no Recreio dos Bandeirantes saltou de 2 para 18 templos, enquanto a Católica permanece com apenas uma igreja.



“De sete meses para cá, todas as vinte igrejas que abri foram longe de favelas, e olha que eu tenho muitas igrejas nestas áreas. Esse padre está precisando andar mais pelo Brasil para ver se nós evangélicos só pregamos para pobre mesmo”, indicou Silas.

O líder evangélico acredita que a Igreja Católica perdeu sua essência na ministração do evangelho. “A questão é que a Igreja Católica deixou de pregar o Evangelho que transforma a vida das pessoas. Veja se você vê a Bíblia na mão de um padre?”, pergunta.

Mafalaia vai além. Ele afirmou que a Igreja Católica não incentiva a leitura bíblica entre seus membros, porque o dia que isto acontecer, eles abandonarão a sua fé. “A bíblia não é dos evangélicos nem dos católicos, é a palavra de Deus. E ela condena a idolatria de ponta a ponta”, lembra o pastor se referindo as imagens presente nas paróquias.

Outro ponto que pastor Silas fez questão de lembrar, é a aplicação das ofertas e dízimos recebidos nas duas igrejas: “O povo evangélico vê que o dinheiro que eles dão para a igreja fica aqui no Brasil, sendo investido na abertura de novos templos. Nós não mandamos bilhões todo ano para cobrir déficit de corrupto no banco do Vaticano”.

Manzotti ainda é desafiado por Malafaia a revelar suas finanças. Mesmo o religioso católico sendo um dos maiores vendedores de CDs, DVDs e livros do país, ele afirma que vive de uma herança da família e do salário pago pela paróquia.

“Esse padre perdeu a oportunidade de calar a boca. Como disse o rei da Espanha para o Hugo Chavez, “por que não te callas?”. É melhor ele continuar cantando do que ficar falando asneira a respeito da religião dos outros”, finalizou o pastor.




Deixe seu comentário!