Igreja na Florida usa milhares de cruzes para protestar contra o aborto nos Estados Unidos

Cada cruz representa um aborto cometido todos os dias naquele país


Igreja na Florida usa milhares de cruzes para protestar contra o aborto

Uma pequena igreja da Flórida resolveu protestar contra o aborto e colocou 4.000 cruzes  brancas em seu gramado para chamar a atenção para o número assustador de abortos cometidos todos os dias nos Estados Unidos.

Motoristas e moradores da Gilchrist County, uma rodovia movimentada, se surpreenderam com o protesto que também estava promovendo o filme anti-aborto chamado “180”, lançado neste mês.

Quatro faixas traziam a inscrição “4000 bebês assassinados a  Cada Dia -. Cada Cruz = Uma Criança a cada dia” e ao fundo tentam direcionar as pessoas para o website do filme www.180movie.com.


  Curso Livre Bacharel em Teologia! Apenas 195 reais! Sem mensalidades!


“O Senhor colocou isso em meu coração há três anos. Eu tive que ir por partes”, conta o pastor Keith McConnell, líder da igreja. Ele disse que foi chamado por Deus para diminuir esses números tão elevados de aborto no país. Dados estimam entre 3.300 a 4.000 abortos por dia.

As cruzes foram postas no dia 1º de outubro e a população tem dado respostas favoráveis sobre esse protesto. “A maioria está dizendo coisas como, ‘Uau, eu nunca imaginei que fossem tantas [vidas perdidas pelo aborto]”, diz o pastor.

Ele acredita que com isso as pessoas ficarão curiosas e assistirão ao filme.

“Acreditamos que podemos fazer a diferença”, disse McConnell. “Estamos em uma cidade pequena, mas estamos localizados em uma das estradas principais da cidade. É a rua principal do município”, diz.

O próximo passo de McConnell é juntar dinheiro para  dar  um  DVD de “180” a todos em Trenton, que tem uma população de 1.400 pessoas. Esse filme foi lançado também na primeira semana de outubro e na primeira semana alcançou a marca de 500 mil expectadores.

“Eu acho que é uma  boa ferramenta de  ensino para a igreja. Ele ajuda as pessoas a realmente entender  os horrores do aborto “, disse McConnell. “Ele (Comfort – diretor do longa) descreve uma situação real para as pessoas que, onde  eles tinham que tomar  uma decisão baseada em escolhas e, em seguida, a  mesma decisão em relação ao aborto”, encerra o pastor.




Deixe seu comentário!