Igrejas abrigam refugiados de guerra em Mianmar

Moradores são obrigados a abandonarem suas casas


Refugiados em Mianmar
Crianças caem na lama durante travessia para Bangladesh; riscos aumentam no período de chuva de monções. (Foto: Mohammad Ponir Hossain / Reuters)

Milhares de moradores de áreas devastadas da República da União de Mianmar, sudeste asiático, estão sendo obrigados a abandonarem suas casas para salvarem suas vidas. A guerra civil entre tropas do governo e o Exército Nacional de Kachin (grupo radical).

De acordo com a Missão Portas Abertas, as igrejas da região estão abrigando cristãos deslocados de toda a parte do país.

“As igrejas locais estão fazendo o possível para acomodar os cristãos que estão fugindo das zonas de guerra. Elas doam comida e outros itens de necessidade básica”, disse um cristão que pela política de segurança do Portas Abertas não é identificado.

O cenário é de destruição. Os civis em zonas de guerra não são autorizados a entrar nas grandes cidades e as pessoas que não estão em zonas de conflito também não podem sair de suas cidades. As ruas estão isoladas e com soldados do governo birmanês de plantão. Nas zonas de guerra, os civis são ameaçados de morte se não deixarem suas casas e muitas delas são queimadas pelos soldados do governo.

Muitos refugiados acampam a céu aberto por não serem aceitos nos acampamentos de pessoas internamente deslocadas. Alguns se escondem na floresta, onde enfrentam fome e doenças devido à escassez de alimento. Centenas já perderam a vida.

A Missão Portas Abertas pede oração pelo fim da guerra, pela segurança dos cristãos deslocados, para que os jovens da região não percam o sentido da vida e para que a igreja local permaneça firme para poder ajudar os cristãos afetados pela guerra.





Deixe seu comentário!