Igrejas cristãs cancelam atividades no Egito por razões de segurança

Medo de atentados assola cristãos egípcios


Igrejas cristãs cancelam atividades no Egito por razões de segurança

A Agência EFE informa, em Cairo, que a Igreja Copta e a Igreja Católica cancelaram todas as conferências atividades culturais e viagens previstas no Egito até o final do mês de julho por motivos de segurança. A decisão foi executada na última sexta-feira (14).

De acordo com a agência, a Igreja Copta Ortodoxa, que é predominante entre cristãos do país, suspendeu os trabalhos conforme as orientações dadas pelo Ministério do Interior, com o qual está em contato constante desde os atentados feitos contra catedrais coptas realizados no Domingo de Ramos. As informações foram repassadas por meio do porta-voz Boulos Halim.

Halim disse que não existe nenhuma ameaça possível de terrorismo o qual tenha motivado diretamente a decisão. Ele acrescenta que a suspensão foi motivado por motivo “geral da segurança” no país. Em breve, a igreja estudará se prorroga o prazo ou retorna as atividades.

A decisão de suspensão também foi abraçada pela Igreja Católica. No entanto, diferentemente da Copta Ortodoxa, as atividades religiosas serão mantidas dentro dos templos. A informação foi dada pelo porta-voz da Igreja Católica no Egito, Rafic Greiche.

Segundo a Reuters, o Egito é alvo de diversos atentados contra cristãos desde dezembro de 2016. As ações, que provocaram a morte de centenas de pessoas, foram reivindicadas pelo Estado Islâmico (EI).

Em fevereiro deste ano, várias famílias cristãs fugiram da província do Sinai do Norte, localizada na região nordeste do país. Os cristãos coptas, por sua vez, somam quase 12% da população do Egito.




Deixe seu comentário!