Imagem de igreja usada para divulgar parada gay gera polêmica

Catedral de Maringá, no Paraná, virou símbolo homossexual nas redes sociais


Imagem de igreja usada para divulgar parada gay gera polêmica

A Parada Gay de Maringá, norte do Paraná, deve acontecer no dia 20 de maio. Mas desde agora está causando polêmica na cidade.

O motivo é um cartaz de divulgação do evento, que provocou a ira de católicos da cidade por associar a Basílica Nossa Senhora da Glória refletindo com o movimento homossexual.

Um facho de luz passa pela cúpula do prédio e “explode” com as cores do arco-íris. Luiz Modesto, 31, editor do site “Maringay”, defende que o cartaz é extraoficial e está circulando apenas na Internet.

O conceito foi desenvolvido pela artista plástica Elisa Riemer, e lembra a capa do álbum “The Dark Side of the Moon”, do grupo de rock britânico Pink Floyd.

“Foi um cartaz simpático, com o símbolo de Maringá. Em qualquer lugar usa-se o símbolo da cidade para vender o peixe”, explica Modesto. Para ele, outras leituras podem ser feitas, como o facho de luz que vem de baixo depois explode no alto, representaria a diversidade de Maringá.

Mas a igreja pede a retirada da imagem nas redes sociais e sites que defendem a causa gay. “Respeitamos a diversidade, mesmo às vezes não concordando com o modelo de comportamento”, afirma o arcebispo da cidade, dom Anuar Battisti.

Em uma nota oficial, a Arquidiocese de Maringá afirmou que “a Igreja Católica não tem a pretensão de domesticar a sociedade, impondo-lhe seus princípios e valores”, mas que o cartaz “confrontou opinião religiosa da parcela maior da comunidade maringaense”.

A imagem da catedral é um dos símbolos de Maringá e isso atacaria a fé da maioria dos moradores da cidade. Luiz Modesto diz que ter falará pessoalmente com o arcebispo hoje (17), mas que a Igreja terá que apresentar bons argumentos para a retirada do cartaz. “Se ele me convencer que eu ofendi a Igreja, eu retiro”, conclui.

Com informações Folha




Deixe seu comentário!