MENU

Incêndio de prédio em São Paulo destrói igreja Luterana

Edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou em SP após incêndio, foi projetado na década de 1960 e era patrimônio histórico.


Edifício Wilton Paes de Almeida destruído
Prédio de 26 andares desabou durante um incêndio de grandes proporções no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo. (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Um incêndio sem precedentes destruiu totalmente o edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo, deixando 92 famílias desabrigadas e comprometendo as construções vizinhas. Ao lado da construção estava localizada a Igreja Evangélica Luterana, parte importante da história do evangelho no Brasil, que foi praticamente destruída.

A catedral que passava por um processo de restauração, teve uma perda incalculável. Todo o telhado foi comprometido, o forro de madeira original, a parede direita com vitrais que levavam o selo de Martinho Lutero construídas pelo vitralista Conrado e muitas preciosidades artísticas, tudo foi perdido.

Leia mais

“A igreja foi praticamente destruída, mais de 80% destruída, só sobrou uma parte do altar e a parte da torre, o resto veio tudo abaixo. Uma tragédia muito mais que financeira, uma tragédia humana”, disse o pastor Frederico Carlos ao Jornal Hoje.

O templo, também conhecido como Martin Luther, foi construído em estilo neogótico e inaugurado em 25 de dezembro de 1908. Ele foi tombado pelo Conpresp, em 1992, e pelo Condephaat, em 2012. Guilherme von Eÿe, seu arquiteto, também assinou o projeto do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. O prédio ocupa uma área de 1012 metros quadrados e tinha pavimento térreo de 465 metros quadrados.

A Igreja Evangélica Luterana, que fica ao lado do prédio em chamas, também pegou fogo e parte da estrutura desabou. (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)

Incêndio teve início de madrugada

O incêndio que atingiu a sede da igreja teve início por volta de 1h30 da madrugada de hoje (01) no 5° andar do prédio vizinho à catedral.  O imóvel de 24 andares pertencia a União e era ocupado irregularmente por grupos de famílias sem-teto.

O edifício foi colocado para leilão em 2015, por R$ 24 milhões, mas ninguém adquiriu. Em 2017, o imóvel foi cedido para a Prefeitura de São Paulo, para instalação da Secretaria de Educação e Cultura da cidade, segundo o Ministério do Planejamento.

Saiba como ajudar

A Cruz Vermelha de São Paulo está recebendo doações de água, alimentos não perecíveis, roupas, sapatos e itens de higiene pessoal para auxiliar as vítimas do incêndio. Quem estiver em São Paulo e quiser ajudar, basta se dirigir ao polo na Avenida Moreira Guimarães, 699, próximo ao aeroporto de Congonhas. Com informações de Veja e G1



Assuntos: ,


Deixe seu comentário!

Mais notícias