22/04/2014 - 18:29

Premiê britânico afirma que país é cristão e causa polêmica

O ateísmo tem crescido no país que perdeu 13% de cristãos nos últimos 13 anos


Premiê britânico afirma que país é cristão e causa polêmica Premiê britânico afirma que país é cristão e causa polêmica

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, está no centro de uma confusão com grupo de cientistas, acadêmicos e escritores. Isso porque ele afirmou que a Inglaterra é “um país cristão”.

Os escritores Philip Pullman e Terry Pratchett fazem parte do grupo de famosos que se juntaram contra a frase dita pelo premiê durante um discurso. Eles afirmam que Cameron promoveu divisões sectárias no país ao dizer que a Inglaterra é uma nação cristã.

O jornal Daily Telegraph recebeu uma carta assinada pelos descontentes onde eles afirmam que a Inglaterra não é um país cristão, mas uma “sociedade plural” formada na maior parte por pessoas não religiosas.

“Falar o contrário estimula a alienação e divisão em nossa sociedade”, afirmaram as 55 pessoas que assinaram a carta contra o premiê britânico. Para eles a fala de David Cameron “alimenta desnecessariamente debates sectários que não estão presentes nas vidas da maior parte dos britânicos”.

A Inglaterra está cada vez mais secular, em 2001 72% da população se declarava cristã, hoje esse número passou para 59%, representando 33,2 milhões de pessoas.

Por outro lado o número de ateus e agnósticos tem aumentado, repetindo um fenômeno que toma toda a Europa. Na Inglaterra há cerca de 14 milhões de pessoas que dizem não ter religião.

Foi lá que surgiu a primeira “igreja” de ateus. A “Assembleia de Domingo” foi criada pelo comediante Sanderson Jones e reúne centenas de ateus para momentos de reflexão e descontração. Com informações Reuters.